Em pessoas, cachorros, gatos, cavalos ou em vários outros seres vivos, carrapatos nunca são bem-vindos. Mas se engana quem pensa que esses parasitas são todos iguais! Na verdade, existem diversos tipos de carrapato.

Além de causarem grande incômodo, com coceira, eles ainda são conhecidos por transmitirem uma série de doenças graves. Abaixo, contamos quais são os que mais afetam os cachorros, que doenças eles causam e o que fazer para impedir as infestações.

Carrapato: um nome para muitas espécies

Quem já passou pela experiência desagradável de ter um carrapato-estrela no próprio corpo, deve se lembrar de como ele é pequeno, lembrando uma pinta. Por outro lado, se você já viu um boi com infestação de carrapatos, deve ter percebido que os parasitas são grandes e podem ser vistos à distância.

Biologicamente, ambos pertencem à mesma classe (Acarina) e ordem (Ixodida). No entanto, a diferença é explicada por se tratarem de espécies diferentes de carrapato. Isso mesmo! Não existe apenas um tipo de carrapato comum. Ao todo, já foram catalogadas mais de 800 espécies desses parasitas.

Além de apresentarem diferenças físicas, cada espécie tem “preferência” por se hospedar em determinado animal, que pode ser mamífero, ave e até réptil ou anfíbio. Prova disso é a história da pobre cobra Nike, encontrada na região de Queensland, na Austrália, com mais de 500 carrapatos no corpo!

Principais tipos de carrapatos em cães

Agora que você já sabe que cada espécie de carrapato tem uma preferência de hospedeiro, é hora de conhecer quais são aquelas que, infelizmente, costumam parasitar nossos amigos. Abaixo, médica-veterinária da Petz, a Dra. Renata Alvez, cita os principais tipos de carrapatos que transmitem doenças e explica a quais doenças elas estão associadas:

  • Rhipicephalus sanguineus (carrapato-vermelho-do-cão): como o nome popular sugere, é a espécie mais comumente encontrada nos cachorros. Além disso, ela também é típica de áreas urbanas. Trata-se de um dos tipos de carrapatos perigosos pois, além de causar desconforto, é transmissor das doenças babesiose, erliquiose e anaplasmose,
  • Amblyomma cajennense (carrapato-estrela): também conhecido como carrapato do cavalo, essa espécie de parasita é mais frequente fora de centros urbanos, em locais de vasta vegetação. A principal doença transmitida por ele é a doença de Lyme ou febre maculosa, que também afeta seres humanos.

Embora algumas sejam mais conhecidas do que outras, todas as doenças transmitidas por carrapatos devem ser levadas a sério. Por isso, caso encontre um parasita no seu filho de quatro patas, o ideal é procurar um veterinário. Além de fazer uma avaliação clínica, ele também poderá indicar a melhor forma de retirar os parasitas e prevenir carrapatos no seu pet.

Carrapato de cachorro pega em humano?

Essa é uma preocupação muito comum entre tutores que, em algum momento, encontram um carrapato na pele do peludo. Pois saiba que a resposta é sim. Da mesma forma que o carrapato-estrela — mais comum em cavalos — pode parasitar os cachorros, ele também pode ser visto em humanos.

E o mesmo vale para o carrapato-vermelho-do-cão. “A preferência é por parasitar cães, porém, em áreas com grandes infestações, pode ocorrer parasitismo em humanos”, esclarece a Dra. Renata Alvez. Por isso, é importante sempre cuidar e estar atento ao pelo do cachorro.

O que fazer para que seu pet não sofra com infestação

Para muitos tutores que vivem em centros urbanos, carrapatos são vistos como algo com o que eles devem se preocupar somente em caso de viagens para chácaras, sítios, etc. Mas, como comentamos, a espécie mais comum nos cães é, na verdade, bastante cosmopolita, sendo facilmente encontrada nas grandes cidades. Pior ainda, ela é responsável por transmitir um número considerável de doenças.

Por isso, se você quiser mesmo garantir a saúde do seu filho de quatro patas, o melhor é apostar no uso contínuo de antiparasitários, não somente quando for viajar ou depois que o pet for picado por um carrapato. Assim, você manterá seu amigo protegido e vai assegurar que ele não irá sofrer com problemas, como erliquiose, babesiose, etc.

Produtos para evitar tipos de carrapatos e pulgas

Lojas como a Petz contam com uma grande variedade de produtos antipulgas e anticarrapatos: pipetas com antiparasitários para depositar na região do dorso, comprimidos por via oral (com duração de até 3 meses) e coleiras (com duração de até 8 meses). Na hora de escolher, converse com um veterinário para encontrar a opção mais adequada às necessidades e ao estilo de vida do cachorro.

Além disso, respeite a indicação de peso, fique atento à duração do produto e faça a higienização periódica dos ambientes. Só assim você terá certeza de que o pet estará seguro e protegido, independentemente do tipo de carrapato!