Cachorro com fraqueza nas pernas: o que pode ser?

Postado por PETZ, em Atualizado em Apr 9, 2021

Bem-Estar
Cachorro com fraqueza nas pernas: o que pode ser?
Tempo de leitura: 4 minutos

Todo tutor gosta de ver seu companheiro contente, brincando e correndo. Por isso, diante de um cachorro com fraqueza nas pernas, é compreensível ficar preocupado e querer buscar respostas rápidas sobre o que pode estar por trás do problema. 

cachorro cansado

De acordo com a Dra. Louise Veiga da Silva Siqueira, médica-veterinária da clínica Petz Bonocô, em Salvador, diversos quadros de saúde podem deixar o cachorro com fraqueza nas pernas como sintoma. Portanto, ao notar que seu amigo está com dificuldade para andar, não tente fazer o diagnóstico por conta própria. Procure um veterinário o quanto antes. 

Conheça as principais causas da fraqueza nas pernas

Alguns sintomas, como prostração e falta de apetite, são comuns a boa parte das doenças, fazendo com que seja ainda mais difícil para um tutor identificar a origem do problema. 

No caso do cachorro com fraqueza das pernas e tremedeira, ainda que se trate de um sintoma mais específico, ela também pode indicar variadas condições. Entre elas, a Dra. Louise cita:

  • Artrose canina: doença articular crônica que leva à degeneração das articulações;
  • Artrite canina: inflamação das articulações, causada por diferentes fatores;
  • Hérnia de disco: degeneração aguda ou crônica do disco vertebral;
  • “Bico de papagaio”: doença degenerativa e proliferativa que afeta a coluna vertebral;
  • Doenças infecciosas;
  • Traumas locais;
  • Qualquer alteração que possa causar dor ou desconforto.

Além de fraqueza nas pernas, tais problemas de saúde podem vir acompanhados de outros sintomas pouco específicos, como menos disposição para brincar, visto que causam dor. 

Grupos e fatores de risco

Infelizmente, todos os cães podem apresentar problemas de saúde que levam à fraqueza nas pernas. Porém, alguns fatores contribuem para aumentar a chance de o pet apresentar o sintoma em algum momento da vida, como é o caso da hereditariedade.

“Algumas raças, como Labrador, Golden Retriever e Pastor Alemão são mais propensas a apresentarem fraqueza nas patas por problemas como displasia coxofemoral, por se tratar de um problema transmitido geneticamente e que está amplamente presente em algumas linhagens”, explica a Dra. Louise. 

“Cães da raça Teckel, que são naturalmente mais ‘compridos’ que a maioria dos cães, comumente apresentam problemas na coluna que podem gerar quadro de fraqueza e dor”, completa a veterinária da Petz.

Independentemente da raça do cãozinho, o excesso de peso é outro fator que favorece o surgimento dos sintomas de cachorro com fraqueza nas patas dianteiras ou traseiras, uma vez que acaba sobrecarregando a coluna e as articulações. 

Portanto, antes de se preocupar no que dar para cachorro com fraqueza nas pernas, observe se o seu amigo parece estar acima do peso. Se for o caso, consulte um veterinário para reverter o quadro o quanto antes, evitando problemas secundários.

cachorro idoso

Diagnóstico e tratamento

Meu cachorro está com fraqueza nas pernas! O que fazer?”. Conforme explica a Dra. Louise, o fato de a fraqueza estar localizada nas patas traseiras, dianteiras ou em ambas ajuda o veterinário a chegar mais rapidamente a um diagnóstico. 

Isso porque, enquanto lesões na coluna podem afetar qualquer uma das patas, doenças de quadril, como a displasia coxofemoral, deixam o cachorro com fraqueza nas patas traseiras apenas.

Além disso, “uma boa anamnese e avaliação clínica minuciosa são importantes para determinar o ponto de partida e as suspeitas principais”, diz a veterinária. Cumprida essa etapa, exames de imagem e de sangue são necessários para fechar o diagnóstico e traçar um prognóstico da doença, segundo a especialista.

O tratamento mais adequado do cachorro com fraqueza nas patas vai depender de diversos fatores, com destaque para a origem do sintoma, do estágio em que se encontra a doença e do estado de saúde de cada paciente. 

“A depender do caso, ele pode ser tratado de forma conservativa, isto é, por meio de medidas como fisioterapia, acupuntura e uso de medicamentos”, explica a Dra. Louise. 

“Em outros casos, pode haver indicação para intervenção cirúrgica”. Nesse sentido, a veterinária diz que algumas das causas que podem ser tratadas com a ajuda de cirurgia são: displasia coxofemoral, alguns problemas de coluna e ruptura de tendões.

O que fazer para prevenir a fraqueza nas pernas?

Embora possa estar associada à herança genética, como no caso de algumas raças de grande porte, o sintoma de cachorro com fraqueza nas pernas também está ligado a fatores ambientais. 

A seguir, confira algumas dicas para evitar ou, ao menos, desacelerar o surgimento do sintoma:

  • Evite deixar que o pet suba e desça de camas e sofás com frequência. Com o tempo, isso pode acabar forçando a coluna do cachorro;
  • Se possível, evite deixar que o pet permaneça em locais de piso liso ou escorregadio;
  • Siga a quantidade de ração recomendada pelo veterinário para seu amigo e evite dar muitos petiscos ao cão, a fim de evitar o sobrepeso;
  • Estimule atividades físicas diárias moderadas, como passeios na coleira, de acordo com a orientação veterinária para não sobrecarregar coluna e articulações;
  • Leve seu amigo para um check-up no veterinário ao menos uma vez por ano.

cachorro cansado apoiado na perna do dono

Esperamos tê-lo ajudado a entender melhor o que pode estar acontecendo ao encontrar um cachorro com fraqueza nas pernas. Para mais informações sobre a saúde dos peludos, é só continuar nos acompanhando aqui, no blog da Petz!

Compartilhe:

#

Petz

Aqui você encontra tudo e um pouco mais sobre o incrível mundo animal e fica por dentro dos cuidados essenciais com seu bichinho de estimação, seja para um cachorro, gato, passarinho, hamster, peixes e muitos outros — ou todos eles!

Petz

#

Aqui você encontra tudo e um pouco mais sobre o incrível mundo animal e fica por dentro dos cuidados essenciais com seu bichinho de estimação, seja para um cachorro, gato, passarinho, hamster, peixes e muitos outros — ou todos eles!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *