Cachorro medroso: quais as causas e como ajudar

Postado por PETZ, em Atualizado em Feb 27, 2019

Cachorros
Cachorro medroso: quais as causas e como ajudar
Tempo de leitura: 5 minutos

Considerados os melhores amigos do homem, cachorros são símbolos de companheirismo e de fidelidade. Não bastasse isso, muitas vezes são escolhidos como cães de guarda, vigiando a casa e protegendo o tutores. Não é de estranhar, portanto, que muitos tutores de primeira viagem fiquem surpreendidos ao descobrir que têm um cachorro medroso em casa.

Pois saiba que isso pode acontecer com muitos pets, até mesmos com aqueles de raças grandes e fortes, do tipo que colocam medo em muita gente!

Mais do que uma característica da personalidade, o medo em cachorro é um transtorno comportamental que contribui para problemas como dificuldade de socialização, agressividade, entre outros.

Para evitar que isso aconteça, vamos descobrir as causas do medo e o que fazer para ajudar um cachorro medroso?

Por que alguns cachorros são medrosos?

Assim como nós, seres humanos, não somos todos iguais, cachorros também possuem temperamentos diferentes, que, por sua vez, podem resultar em um comportamento mais ou menos medroso. E isso vale, inclusive, para indivíduos da mesma raça!

No entanto, os fatores de maior influência no que diz respeito à coragem — ou à falta dela — têm a ver, principalmente, com o histórico e a criação do pet. Entre as causas do medo em cachorro mais indicados pelos especialistas, podemos citar:

  • Traumas: principalmente durante a infância, os cachorros passam por experiências marcantes que vão ser essenciais na idade adulta. Se o pet tiver algum trauma ou susto muito grande durante este período, isso terá influência em toda sua vida;
  • Falta de socialização na infância: enquanto o pet ainda é filhote, é importante apresentá-lo a diferentes tipos de pessoas, de cachorros, de ambientes e de situações. Se o pet crescer em um meio muito limitado, vai estranhar novas experiências, e reagir com medo sempre que encontrar algo inusitado,
  • Adestramento inconsistente: ao contrário do que muitos pensam, estipular regras para o cachorro e ser consistente com elas não causa sofrimentos ao pet. Ao contrário! Ao entender com clareza o que pode ou não fazer, o cachorro se torna muito mais seguro e confiante, tornando-se menos medroso e ansioso.

Como dito anteriormente, fatores como raça e herança genética também podem influenciar. Afinal, um cachorro criado para servir de guarda, como o Lhasa Apso, tende a ser mais corajoso que um cão de companhia, como o Shih-Tzu.

No entanto, é principalmente a criação que vai determinar o comportamento do cachorro. A boa notícia é que, em muitos casos, o medo pode ser superado por meio de adestramento!

Como perceber se seu pet é medroso

Cachorros são territorialistas, e podem agir de forma intempestiva se sentirem que seu espaço foi invadido. Assim, é normal que seu amigo se esconda quando chega visitas.

Além disso, por não saberem a origem de certos acontecimentos, é compreensível que fiquem com medo de sons altos, como fogos de artifício. Por outro lado, se o medo está atrapalhando a convívio do pet, gerando agressividade ou causando males físicos, talvez seu amigo precise de ajuda. Por isso, alguns sinais de alerta são:

  • O cachorro se esconde sempre que passa por uma situação diferente;
  • Late incessantemente para visitas;
  • Rosna para desconhecidos ou para o tutor;
  • Recua ou anda encostado na parede;
  • Fica muito agitado e apresenta tremores,
  • Ameaça atacar.

Se seu pet apresentar um ou mais dos sintomas acima, talvez seja a hora de consultar um profissional e buscar um tratamento. Além de atrapalhar a socialização do pet, o medo exagerado causa um alto nível de estresse e pode prejudicar a saúde dele.

Como ajudar um cachorro medroso

Percebeu que convive com um cachorro medroso? Não se preocupe. Há formas de amenizar o problema e deixar seu pet mais tranquilo e saudável. O método mais utilizado é o contato com o elemento que o faz ter medo. Mas atenção! Isso deve ser feita de maneira bastante cuidadosa.

Aos poucos, e de forma controlada, exponha o cachorro à situação que o amedronta. É importante que isso seja feito de forma gradual, respeitando a reação do pet.

Se o processo não for feito da maneira correta, o medo pode ficar ainda maior e pior: o pavor pode se estender a outras coisas e pessoas. O cachorro pode, por exemplo, passar a temer também quem o submeteu a situação de estresse.  

Uma dica essencial de como acalmar um cachorro medroso é associar a situação de medo com um agrado: um petisco, um carinho ou uma brincadeira. Dessa forma, pouco a pouco, a memória do pet vai se acostumar com aquela situação e ele vai se sentir mais confortável e confiante.

Fique por perto mas não force a interação. Nem todos os cães querem colo ou contato físico durante as situações de estresse. Por isso, observe o comportamento do seu cachorro e evite puxá-lo ou agarra-lo contra sua vontade. Deixe que ele demonstre o que você pode fazer para ajudá-lo.

Filhotes medrosos

Se o cachorro ainda é filhote, provavelmente vai sentir medo de muitas coisas. Mas, se você adotar certas práticas com o pet desde pequeno, ele poderá crescer mais corajoso.

Por exemplo: fogos, trovões e outros barulhos altos são sempre um problema para a maioria dos cachorros e tutores. Por isso, tente acostumar seu amigo a esses ruídos.

Cachorros aprendem muito por observação, então, se perceberem que todos na casa lidam com normalidade com tempestades, perceberão que não há o que temer. Outra prática que ajuda é distrair o cachorro durante o evento, com petiscos ou brincadeiras.

Assim, ele provavelmente não perceberá o barulho e não terá lembranças aterrorizadoras no futuro.

Em caso de dúvidas, busque ajuda

Ao perceber que seu pet está apresentando sinais de medo, a ajuda de um profissional é sempre bem-vinda. Ao identificar o que desencadeia a insegurança no pet, ele saberá orientar em relação às melhores práticas.

E lembre-se: por mais que os cachorros sejam inteligentes e pareçam nos compreender muito bem, nem sempre eles entendem completamente a situação.

Assim, se você ficar bravo com o cachorro durante uma crise de medo, isso só o deixará mais apavorado. Em vez disso, procure ajudar seu pet através do carinho e da aceitação.

Com esforço e um pouquinho de paciência, logo seu amigo vai se tornar mais seguro para aproveitar momentos tranquilos ao seu lado.

A presença de novos acessórios também pode ajudar o cãozinho no tratamento do medo. No Pet Shop on-line da Petz, você encontra produtos essenciais para o bem-estar do seu companheiro com preços imperdíveis.

Compartilhe:

#

Petz

Aqui você encontra tudo e um pouco mais sobre o incrível mundo animal e fica por dentro dos cuidados essenciais com seu bichinho de estimação, seja para um cachorro, gato, passarinho, hamster, peixes e muitos outros — ou todos eles!

Petz

#

Aqui você encontra tudo e um pouco mais sobre o incrível mundo animal e fica por dentro dos cuidados essenciais com seu bichinho de estimação, seja para um cachorro, gato, passarinho, hamster, peixes e muitos outros — ou todos eles!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *