Giárdia canina: saiba tudo sobre a doença parasitária

Postado por PETZ, em Atualizado em Oct 26, 2020

Cachorros
Giárdia canina: saiba tudo sobre a doença parasitária
Tempo de leitura: 4 minutos

Infelizmente, algumas doenças muito desagradáveis são bastante comuns em nossos filhos de quatro patas. Um exemplo é a giárdia canina. Caracterizada principalmente por alterações gastrointestinais, a doença parasitária está entre as principais causas de diarreia em cães. 

cachorro em pé

Por sua intensidade, em casos mais graves, a giárdia canina pode levar à perda de peso e à desidratação. Além disso, a doença também pode ser transmitida para você e sua família.

Para ajudar na identificação e prevenção do problema no futuro, contamos com a ajuda da Dra. Gabriela Bianchi, médica-veterinária da Petz, para responder a algumas das principais dúvidas sobre o assunto. Vamos conferir?

O que é a giárdia canina?

Muita gente não sabe o que é giárdia canina, mas essa é uma doença parasitária, ou parasitose, causada por um protozoário chamado Giardia lamblia

Também conhecida como giardíase, a doença se manifesta a partir da instalação do microrganismo no trato intestinal do pet, o que provoca a lesão de células intestinais, causando diarreias, dores abdominais, vômitos, entre outros sintomas.

Considerada uma zoonose, isto é, uma doença transmissível para seres humanos, a giárdia também pode atingir e ser transmitida por outros animais, como, por exemplo, aves. 

Quais são os sintomas da giárdia?

Depois de ingeridos pelo pet, os oocistos da giárdia vão se instalar no intestino, onde começam a se desenvolver e a se reproduzir. Esse processo leva a uma série de consequências, como lesão de células intestinais e dificuldade de digestão e absorção de nutrientes. Entre os principais sintomas da giárdia em cães estão:

  • Vômito; 
  • Diarreia líquida ou pastosa fétida;
  • Sangue ou muco nas fezes;
  • Dores abdominais;
  • Gases;
  • Falta de apetite;
  • Perda de peso,
  • Prostração.

Dependendo do paciente e da demora no tratamento, a giárdia em cães pode provocar um quadro de desidratação severa, colocando em risco a vida do cachorro. Em caso de suspeita de giardíase, procure um veterinário quanto antes para diagnóstico e tratamento.

Como ocorre a transmissão da giardíase?

A transmissão da giárdia ocorre a partir da ingestão dos oocistos do protozoário. Estes podem estar presentes na água ou em alimentos, assim como diretamente nas fezes de outros animais, com as quais o pet entra em contato durante os passeios. 

Uma vez infectado, o hospedeiro passa a eliminar esses oocistos em suas fezes. Nesse sentido, um dos principais problemas no combate à giárdia é que esses oocistos podem sobreviver por muitos meses no ambiente. 

Ah! Lembrando que a giárdia canina pega em humanos. Portanto, especialmente se seu amigo apresenta os sintomas, procure lavar bem as mãos depois de brincar com o cachorro e manusear as fezes dele. 

chow chow parado

Como saber se o cachorro está com giárdia?

A diarreia com odor característico é um dos principais indícios da giárdia em cães filhotes e adultos. No entanto, a única maneira de saber com certeza que se trata de giárdia é por meio de um exame parasitológico solicitado pelo veterinário. 

“Às vezes, numa primeira amostra, já encontramos o protozoário. Às vezes, não. Por isso, para o diagnóstico da giárdia, são realizados três exames de fezes seriados”, diz a Dra. Gabriela. “Existem também os exames PCR (Proteína C-Reativa) e a sorologia, que são exames mais específicos para diagnóstico”, completa a especialista.

Qual é o tratamento para a giárdia?

A fim de evitar a reinfecção do pet durante ou após o tratamento, a cura da giárdia envolve uma série de medidas. Além da administração de remédio para giárdia em cães, a Dra. Gabriela explica que é fundamental fazer uma limpeza profunda do ambiente e dos acessórios pertencentes ao pet, como caminha, bebedouro, comedouro, roupinhas, etc. 

Até o fim do tratamento, também é importante cuidar da higiene do corpo do amigo de quatro patas com banhos regulares, uma vez que os oocistos podem ficar presos na pelagem. 

Em casos graves de desidratação decorrente de vômitos e diarreias, o tratamento também pode incluir a administração intravenosa de soro fisiológico para reposição dos eletrólitos.

Para quem tem mais de um pet em casa, a Dra. Gabriela destaca que para evitar novas infecções é fundamental fazer o exame e o tratamento de todos os animais, uma vez que alguns portadores podem ser assintomáticos. 

O que fazer para prevenir a giárdia canina?

A giárdia canina é um problema muito comum e desagradável. Felizmente, com algumas mudanças no dia a dia, é possível diminuir o risco de contaminação, seguindo as medidas: 

  • Mantenha o ambiente e os acessórios do cachorro sempre limpos;
  • Durante os passeios, evite deixar o pet interagir com as fezes de outros animais;
  • Para cães com vida social muito ativa (como frequentadores de daycare), converse com o veterinário sobre a possibilidade de fazer a vermifugação a cada quatro meses. Para cães que não saem tanto de casa, o procedimento é recomendado a cada seis meses,
  • Atualmente, já existe uma vacina contra a giárdia. Embora não seja 100% eficaz, em caso de infecção, ela ajuda a tornar os sintomas mais brandos.

Independentemente de qualquer sintoma, lembre-se de que levar o pet para um check-up no veterinário ao menos uma vez por ano é muito importante para diagnosticar qualquer alteração logo no ínicio. 

cãozinho idoso

Após saber os riscos da giárdia canina e outras informações importantes a respeito da doença, confira o blog da Petz e tenha em primeira mão outros conteúdos sobre bem-estar animal!

Compartilhe:

#

Petz

Aqui você encontra tudo e um pouco mais sobre o incrível mundo animal e fica por dentro dos cuidados essenciais com seu bichinho de estimação, seja para um cachorro, gato, passarinho, hamster, peixes e muitos outros — ou todos eles!

Petz

#

Aqui você encontra tudo e um pouco mais sobre o incrível mundo animal e fica por dentro dos cuidados essenciais com seu bichinho de estimação, seja para um cachorro, gato, passarinho, hamster, peixes e muitos outros — ou todos eles!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *