Reação de vacina em cachorro: sinais e o que fazer

Postado por PETZ, em 23/05/2019

Cães
Reação de vacina em cachorro: sinais e o que fazer

Quando levamos o pet para tomar vacina, o objetivo é claro: queremos deixá-lo protegido contra uma série de doenças graves, como raiva, cinomose, leptospirose, gripe, entre outras. Mas eis que, em vez de voltar para casa mais saudável, seu filho de quatro patas retorna do veterinário amuado e dolorido. Já aconteceu com o seu amigo? É a chamada reação de vacina em cachorro.

Relativamente comuns — principalmente no primeiro ciclo de vacinação — as reações podem assustar alguns tutores de primeira viagem. Para acabar com as dúvidas, contamos por que elas ocorrem, o que fazer em caso de problemas e quando, de fato, é preciso buscar ajuda de um veterinário com urgência.

Reações à vacina: por que elas podem acontecer?

Para começar, não custa nada retomar as aulas de ciências e lembrar como as vacinas agem. Como todos sabem, o objetivo das vacinas é proteger o indivíduo de determinadas doenças. Para isso, elas utilizam bactérias ou vírus inativos que, ao entrar no organismo, estimulam o sistema imunológico a produzir anticorpos contra a doença. E é isso o que nos deixa protegidos!

Nesse contexto, são possíveis muitos tipos de reação, algumas por resposta excessiva do sistema imune, outras por reação às substâncias da vacina, outras por desafio excessivo a um organismo que já estava debilitado e tentando combater outras doenças.

“Normalmente, os filhotes apresentam uma maior taxa de reação de vacina em cães”, explica a médica veterinária da Petz, Dra. Renata Alvez. “As raças de porte pequeno também apresentam mais reações, quando comparadas às raças maiores”, conclui.

Isso não quer dizer que a vacina vá causar reação adversa em todos os filhotes nem que adultos estejam livres dessas reações. Na verdade, segundo a especialista, é algo imprevisível. Por isso, deve-se ficar atento a pets que já apresentaram reação adversa a vacinas anteriormente.

Meu cão tomou vacina e está com dor: efeitos colaterais esperados

De acordo com a Dra. Renata, o que é considerado “normal” após a vacina é que o cachorro não apresente nenhuma reação. No entanto, ela lista algumas alterações que são mais esperadas após o procedimento:

  • Corpo dolorido;
  • Inchaço na região de aplicação,
  • Aumento da temperatura corporal.

É importante destacar que, quando o pet tem reação à vacina, não significa que ele não estará imunizado. Isso quer dizer apenas que o organismo dele está tendo um pouquinho mais de trabalho para lidar com a vacina.

Não se esqueça que nem todas as doenças contam com vacinas. Algumas, como o calazar, por exemplo, requerem outros métodos preventivos, como os repelentes. Confira seis mitos e verdades sobre a leishmaniose.

Quando se preocupar com as reações à vacina

Sempre que o pet apresentar alguma alteração, por menor que ela seja, é bom acompanhar como isso evolui. Se seu amigo ficou com o local de aplicação dolorido, fique de olho para ver se a dor passa em até 24 horas, se está acompanhada de outros sintomas, etc. Porém, algumas reações mais graves merecem atenção imediata:

  • Coceira;
  • Edema (inchaço) de face e pescoço;
  • Agitação;
  • Salivação excessiva;
  • Vômitos,
  • Tremores.

Se o cachorro apresentar qualquer um desses sintomas, leve-o imediatamente a uma clínica veterinária para atendimento. Eles são sinal de uma reação mais séria, como o choque anafilático, que requer cuidado urgente para evitar a perda de consciência e até o óbito.

Vale também observar que alguns sintomas, como o vômito, pode ter outras causas. Saiba o que há de errado com seu pet quando ele está vomitando.

cachorro no colo do veterinário

O que fazer em caso de reação de vacina em cachorro

Como dito, em caso em que seu cachorro tomou vacina e está vomitando ou com diarréia, a recomendação é levar seu amigo ao veterinário o quanto antes. Já para reações esperadas à vacina, algumas medidas ajudam a amenizar o problema:

  • Evite tocar no local de aplicação;
  • Facilite o repouso e deixe o cachorro descansar;
  • Procure dar banho sempre antes da vacina, não nos dias imediatamente seguintes,
  • Em caso de aumento da temperatura, converse com um veterinário sobre o uso de antitérmico ou analgésico.

Além de seguir esses passos, também é importante ficar atento à duração do mal-estar. Em geral, os sintomas costumam passar em 24 horas. Qualquer coisa, corra para uma Petz e encontre o que seu animalzinho precisa.

Lembrando que, apesar do risco de reações leves, as vacinas são extremamente importantes para a saúde dos cachorros. Mantenha a carteirinha de vacinação do seu amigo em dia!

Compartilhe:

#

Petz

Aqui você encontra tudo e um pouco mais sobre o incrível mundo animal e fica por dentro dos cuidados essenciais com seu bichinho de estimação, seja para um cachorro, gato, passarinho, hamster, peixes e muitos outros — ou todos eles!

Petz

#

Aqui você encontra tudo e um pouco mais sobre o incrível mundo animal e fica por dentro dos cuidados essenciais com seu bichinho de estimação, seja para um cachorro, gato, passarinho, hamster, peixes e muitos outros — ou todos eles!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *