Coelho e cachorro: as duas espécies podem mesmo viver juntas?

Postado por PETZ, em Atualizado em Mar 16, 2020

Bem-Estar
Coelho e cachorro: as duas espécies podem mesmo viver juntas?
Tempo de leitura: 2 minutos

Os vídeos de pets se tornaram um oásis de ternura na internet. Dentre os temas está a amizade entre duas espécies que não se bicam: coelho e cachorro. Mas saiba que, na maior parte das vezes, essa convivência não é recomendada. A seguir, descubra o que pensam os especialistas e o que fazer para o convívio dar certo. 

Coelho e cachorro juntos: sim ou não?

É comum encontrar vídeos e matérias sobre animais de diferentes espécies que se tornaram inseparáveis. Mas muitas dessas convivências pacíficas representam exceções à regra.

Claro que alguns pets de espécies diferentes podem permanecer no mesmo ambiente sem grandes consequências. Nesse sentido, o problema na convivência do cachorro com coelho está ligado ao papel que cada um desempenha na natureza. Enquanto o coelho é presa, o cachorro (mesmo doméstico) é predador. 

De acordo com a Dra. Mariana Pestelli, médica-veterinária especialista em animais silvestres da Petz, a convivência entre eles não é recomendada. “Por mais que algumas medidas possam diminuir os riscos, elas não eliminam o estresse causado pela presença de um predador no ambiente”, alerta. 

O que fazer para dar certo? Veja dicas de como diminuir os riscos

Como visto, da perspectiva do veterinário, não é recomendado ter coelho e cachorro como animais de estimação. Isso mesmo quando os pets aparentam estar tranquilos na presença um do outro. 

Nesse sentido, pode ser aplicado um conceito conhecido como “tensão passiva”. Ela ocorre quando os pets não dão sinais de agressividade, mas são como bombas-relógios que podem explodir a qualquer momento. 

Mas e quando não há jeito e é preciso colocar essas duas espécies tão diferentes para conviver no mesmo ambiente? Separamos algumas dicas que ajudam a evitar acidentes:

1. Conheça o temperamento da raça canina

Não é exagero falar que cachorro come coelho. Algumas raças caninas, como o Podengo português, foram selecionadas especialmente para a caça desses lagomorfos.

Conhecer previamente o temperamento e os instintos do cachorro ajuda na medida que dá a dimensão do perigo para os coelhos. Cães de caça, como Basset Hound, Beagle, Fox Terrier, entre outros, devem ficar o mais longe possível desses pets.

2. Apresente o novo pet aos poucos

Ninguém gosta de ter seu espaço invadido, ainda mais quando o novo pet pertence a outra espécie. Por isso, a introdução de um novo animal de estimação na casa deve ser feita em etapas, mesmo quando ambos pertencem à mesma espécie.

Os contatos iniciais devem ser feitos em local neutro, como um parque. A princípio, deixe que os pets se vejam, mantendo-os separados por barreiras físicas, como uma caixa de transportes. Aos poucos, aumente a aproximação, permitindo que se cheirem, até finalmente conseguir que fiquem juntos no mesmo local pacificamente.

3. Quando não estiver em casa, mantenha os pets em cômodos separados

De acordo com a Dra. Mariana Pestelli, em qualquer ocasião, é melhor evitar manter o coelho com cachorro para que este não se sinta ameaçado e, consequentemente, estressado. Assim, o ideal é ter um cômodo especial para o coelho, sempre inacessível para o cachorro. 

Para mais dicas de convivência entre espécies diferentes como o cachorro e o coelho, confira mais conteúdos do blog da Petz! Fique por dentro de dicas para melhores cuidados em relação ao seu melhor amigo.

 

Compartilhe:

#

Petz

Aqui você encontra tudo e um pouco mais sobre o incrível mundo animal e fica por dentro dos cuidados essenciais com seu bichinho de estimação, seja para um cachorro, gato, passarinho, hamster, peixes e muitos outros — ou todos eles!

Petz

#

Aqui você encontra tudo e um pouco mais sobre o incrível mundo animal e fica por dentro dos cuidados essenciais com seu bichinho de estimação, seja para um cachorro, gato, passarinho, hamster, peixes e muitos outros — ou todos eles!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *