Gato ansioso: o mal do século também atinge os pets?

Postado por PETZ, em Atualizado em Jun 5, 2020

Comportamento
Gato ansioso: o mal do século também atinge os pets?
Tempo de leitura: 4 minutos

A ansiedade é um problema sério, que vem sendo mais discutido a cada dia. O que muita gente não sabe é que mesmo pets podem sofrer com esse quadro. Um gato ansioso pode parecer um cenário raro. Afinal, os bigodudos são conhecidos por seu comportamento calmo e até mesmo elegante.

gato olhando atentamente

Mas de acordo com especialistas, os bichanos também sofrem desse mal. Para entender mais sobre gato ansioso, continue lendo. Elaboramos um guia com tudo sobre o tema. 

Gato pode ter ansiedade? 

Com o acúmulo de tarefas e responsabilidades, a ansiedade ganhou os holofotes da medicina. No mundo pet, entretanto, esse é um sentimento mais associado aos cachorros. Quem nunca viu vídeos de peludos que destroem a casa após a breve ausência de um tutor? Será que esse mal também pode afetar os bichanos? 

O Dr. Ítalo Oliveira, médico-veterinário da Petz, explica que é possível sim encontrar um gato ansioso. “É comum, porém em menor intensidade que em cães”, explica. Isso porque os bichanos possuem um outro entendimento de mundo e os fatores que causam ansiedade são diferentes. 

O que causa ansiedade? 

Muitas vezes, a ansiedade em pets é associada de forma equivocada apenas à ausência do tutor. O peludo, quando fica longos períodos sozinho, sente falta de companhia e demonstra problemas de comportamento. 

Porém, no caso de um gato com ansiedade, muitos outros fatores podem influenciar. Sendo assim, é importante pesquisar a origem da ansiedade. Para isso, o Dr. Ítalo indicou algumas das causas mais comuns.

  • Ausência do tutor por períodos longos, acima de 10h;
  • Introdução de um novo pet na família;
  • Mudanças de casa,
  • Alterações no ambiente. 

É importante compreender que o bichano traz muitas características de sua vida selvagem, como o medo de predadores e a disputa por presas. Seu lar é um espaço seguro, onde ele se sente bem e sabe que não haverá perigos. 

Entretanto, uma alteração nesse ambiente pode gerar problemas de comportamento, pois quebra a segurança do bichano. Portanto, é dever do tutor demonstrar para o filho de quatro patas que tudo está bem. 

gato de perfil

Sintomas de ansiedades

A ansiedade muitas vezes é associada a outras enfermidades de ordem psíquica, como o estresse e a depressão. Entretanto, apesar de realmente apresentarem similaridades, os veterinários explicam que a ansiedade em gatos se destaca por apresentar também sintomas físicos. Assim, os sinais podem ser divididos em dois tipos: 

  • Sintomas físicos: são alterações no organismo do bichano que demonstram que algo está errado. Entre os principais, podemos citar respiração ofegante, batimento cardíaco acelerado, problemas intestinais e pupilas dilatadas, 
  • Sintomas mentais: esses sinais estão mais associados ao comportamento do bichano. Devemos destacar as condutas de gato agitado, miado constante, urina fora da caixa, além de apatia ou hiperatividade. 

Os sintomas acima são característicos de um quadro de ansiedade em animais. Além disso, veterinários destacam outro indício muito importante para a saúde de um felino: a limpeza pessoal. 

Os bichanos são conhecidos por sua higiene, e quando descuidam da aparência é porque há algo errado. Entretanto, devemos lembrar que apenas um especialista pode realizar um diagnóstico preciso. Se notar um comportamento diferente no amigo, busque ajuda profissional. 

Tratamentos para ansiedade

Ao notar um gato muito agitado e ansioso, o primeiro passo é buscar ajuda. O Dr. Ítalo reforça que problemas comportamentais devem ter acompanhamento de um veterinário. Primeiramente, deve-se realizar um diagnóstico preciso. 

Alguns dos sinais de gato ansioso se assemelham a outras doenças, e apenas o especialista poderá identificar a origem do problema. Além disso, o médico poderá realizar um tratamento personalizado para o bichano, conhecendo sua rotina, seu ambiente e qual a melhor forma de atuar. 

O Dr. Ítalo reforça que mesmo terapias alternativas, como os florais, não devem ser administradas sem orientação médica. “Elas podem, sim, ajudar. Entretanto, se o pet perceber o remédio na água, pode começar a rejeitá-la”, comenta. Lembrando que a hidratação é um assunto delicado para os bigodudos. 

Como evitar a doença

Mesmo com as atribulações do dia a dia, é possível evitar um gato ansioso. O Dr. Ítalo lembra que um ambiente enriquecido, com diversas atividades, é a melhor forma de oferecer uma vida saudável. Algumas atitudes simples podem prevenir ansiedade em gatos.  São elas:

  • Oferecer brinquedos e atividades;
  • Evitar mudanças no ambiente;
  • Oferecer carinho e atenção;
  • Fornecer uma alimentação saudável;
  • Levar ao veterinário regularmente. 

As atitudes acima vão ajudar o bichano a se sentir mais seguro em seu lar e, consequentemente, menos ansioso. Além disso, lembre-se sempre de buscar a ajuda de um profissional ao perceber qualquer alteração de comportamento no pet.

O Dr. Ítalo destaca ainda que os brinquedos interativos são excelentes para gato ansioso! Geralmente possuem um petisco escondido dentro e o peludo fica curioso para retirar o agrado, passando longos minutos se divertindo nessa atividade. Assim, além de satisfazer o peludo, você ainda estimula o bem-estar do pet. 

gato com olho fechado

Agora que você sabe mais sobre gato ansioso e como ajudá-lo, confira o blog da Petz para ter outros conteúdos que vão garantir a felicidade do amigo de quatro patas!

Compartilhe:

#

Petz

Aqui você encontra tudo e um pouco mais sobre o incrível mundo animal e fica por dentro dos cuidados essenciais com seu bichinho de estimação, seja para um cachorro, gato, passarinho, hamster, peixes e muitos outros — ou todos eles!

Petz

#

Aqui você encontra tudo e um pouco mais sobre o incrível mundo animal e fica por dentro dos cuidados essenciais com seu bichinho de estimação, seja para um cachorro, gato, passarinho, hamster, peixes e muitos outros — ou todos eles!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *