6 animais venenosos que você pode encontrar em área urbana!

Postado por PETZ, em Atualizado em Jul 15, 2021

Curiosidades
6 animais venenosos que você pode encontrar em área urbana!
Tempo de leitura: 4 minutos

Em geral, quando pensamos em bichinhos venenosos, consideramos animais exóticos da Austrália e de locais distantes, não é mesmo? De fato, muitos animais peçonhentos vivem no fundo do mar ou em outros continentes, mas acredite: também existem animais venenosos aqui, no Brasil, inclusive, em centros urbanos!

aranha venenosa

Para ter uma ideia, em 2019, houve um aumento de quase 30% no número de acidentes com escorpiões na cidade de São Paulo. Em 2018, foram, em média, 429 brasileiros picados por dia — isso sem contar os inúmeros acidentes envolvendo os animais mais venenosos do mundo

A seguir, confira uma lista com os seis animais mais venenosos e que podem ser encontrados até em casa dos quais você e seu amigo pet devem manter distância.

1. Aranha-armadeira (Phoneutria)

Considerada um dos animais mais venenosos do mundo, a aranha-armadeira é bastante agressiva. Prova disso é que, diferentemente de outras aranhas, ela não espera passivamente até que as presas se enrosquem na teia. 

Em vez disso, ela parte para o ataque, podendo saltar até 40 cm de distância. Aliás, o veneno de ação rápida causa muita dor, febre, suor, taquicardia, problemas respiratórios, vertigem e vômitos, inclusive, podendo levar à morte. 

Um fato curioso é que a aranha-armadeira é responsável por 45% dos acidentes graves com aracnídeos no Brasil, sendo abril e maio os meses mais críticos e perigosos. 

Além disso, esse animal mais venenoso do mundo possui hábitos noturnos, abrigando-se sob os troncos de palmeiras, bromélias e folhas de bananeiras. Nas casas, também pode se esconder em sapatos, atrás de móveis, sob entulhos, nas cortinas, etc.

2. Aranha-marrom (Loxosceles)

Muito comum em regiões metropolitanas e centros urbanos, a aranha-marrom é um dos animais venenosos menos agressivos que as armadeiras. Em geral, os acidentes ocorrem quando a pessoa comprime o corpo da aranha sem querer, por exemplo, ao calçar os sapatos.

No ambiente externo, a aranha-marrom busca abrigo sob cascas de árvores, folhas secas ou buracos. Já em casa, pode ficar atrás de quadros, móveis, armários, cortinas, livros, dentro de sapatos e outros “esconderijos”. 

Uma vez que as picadas não são muito dolorosas, é comum que a pessoa só se dê conta do problema com o surgimento dos sintomas. Entre eles, podemos citar: queimação e vermelhidão no local da picada, inchaço, dor de cabeça, necrose local e mal-estar geral.

3. Taturana (Lonomia)

Fazendo parte de uma das fases do ciclo biológico de borboletas e mariposas, algumas taturanas também podem causar problemas para a saúde. No Brasil, as espécies mais venenosas de taturana são as do gênero Lonomia, que, por ano, são responsáveis por quase mil acidentes no país. 

Ainda que a maior parte dos casos envolvendo a lagarta tenham evolução benigna, as cerdas pontiagudas e peçonhentas dessas taturanas podem causar síndrome hemorrágica e outras complicações graves, como a insuficiência renal aguda.

Além disso, os acidentes envolvendo a Lonomia ocorrem em ambiente externo, ao encostar em troncos, coletar frutas no pomar, entre outras atividades de jardinagem ou ao ar livre.

escorpião venenoso

4. Escorpião-amarelo (T. serrulatus)

Com ampla distribuição no país, as espécies de animais venenosos do Brasil que merecem destaque em termos de saúde pública são: escorpião-amarelo, escorpião-marrom e escorpião-amarelo-do-nordeste. Entre eles, o primeiro é um dos mais perigosos devido ao grau de envenenamento e fácil adaptação em meio urbano. 

Entre os sintomas causados pela picada de escorpião-amarelo, estão: dor intensa, inflamação local, vermelhidão, náusea, vômito, aumento da frequência cardíaca, dificuldade para respirar, queda de pressão, sudorese, confusão mental e até espasmos. 

Aliás, como essa espécie gosta de locais escondidos e se alimenta de baratas, é mais comum em áreas com acúmulo de lixo e entulhos. As pessoas que trabalham em serralherias, madeireiras e lojas de materiais de construção fazem parte do grupo de risco.

5. Cobra jararaca (Bothrops)

Cobras não são animais que a gente espera encontrar no meio urbano. No entanto, o desmatamento tem levado-as a buscar alimentos nessas regiões. Nesse sentido, uma das espécies que mais vêm se adaptando ao meio urbano é a jararaca. 

Responsável pela maior parte dos acidentes com cobras no Brasil, este é um dos animais venenosos mais frequentes em áreas abertas, como beiras de rios e igarapés, cerrados e regiões litorâneas. 

Entre os sintomas do veneno, estão: dor e inchaço na região da picada e síndrome hemorrágica, com sangramento das gengivas e pela urina. Em alguns casos mais graves, o veneno liberado na picada pode causar insuficiência renal.

6. Abelhas (Anthophila)

Em geral, o veneno liberado nas picadas de abelha não é tão nocivo quanto o de outros animais presentes nesta lista. O grande problema é que muitas pessoas são alérgicas a elas. 

Além disso, uma pessoa pode ser picada por dezenas de abelhas ao mesmo tempo, o que leva a uma reação mais grave, conhecida como choque anafilático, que pode acontecer com os cachorros. 

Para evitar acidentes com animais peçonhentos, mantenha os ambientes limpos, evitando o acúmulo de lixo e entulhos. Em caso de picadas, não tente remover o veneno por conta própria. Em vez disso, procure por atendimento especializado para você ou seu amigo pet!

abelha venenosa

Agora que você conhece alguns animais venenosos populares em ambientes urbanos, confira o blog da Petz para ter acesso a outros conteúdos sobre bem-estar e saúde pet!

Compartilhe:

#

Petz

Aqui você encontra tudo e um pouco mais sobre o incrível mundo animal e fica por dentro dos cuidados essenciais com seu bichinho de estimação, seja para um cachorro, gato, passarinho, hamster, peixes e muitos outros — ou todos eles!

Petz

#

Aqui você encontra tudo e um pouco mais sobre o incrível mundo animal e fica por dentro dos cuidados essenciais com seu bichinho de estimação, seja para um cachorro, gato, passarinho, hamster, peixes e muitos outros — ou todos eles!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *