Saiba tudo sobre o chip para cachorro

Postado por PETZ, em Atualizado em Dec 4, 2020

Cães
Saiba tudo sobre o chip para cachorro
Tempo de leitura: 4 minutos

Já imaginou um dispositivo subcutâneo que permitisse obter a um só tempo várias informações médicas relevantes de um pet, como idade e histórico de doenças? Pois saiba que, apesar da semelhança com artefatos da ficção científica, esse dispositivo já existe e se chama chip para cachorro.

cachorro marrom olhando para o lado

Cercado de muitas dúvidas, o microchip é frequentemente confundido com um rastreador. Ao mesmo tempo, há quem acredite que, justamente por não ter essa função, o microchip para cachorro não tem utilidade. 

Mas, afinal, como funciona o chip para cachorro, para que ele serve e como ele tem ajudado a diminuir o número de animais abandonados? Descubra a resposta para essas e outras questões a respeito do dispositivo!

Para que serve o microchip em cachorro?

Diferentemente do que muitos acreditam, o chip em cachorro não funciona como um rastreador com GPS. Ou seja, em caso de fuga do animal, não é possível acessar um aplicativo e verificar a localização do amigo. 

De acordo com a Dra. Karina Mussolino, gerente de clínicas da Petz e médica-veterinária, o chip é, na verdade, um identificador individual do pet. Ele serve para armazenar informações importantes, como nome, raça, idade, histórico de doenças e, claro, os dados do tutor daquele pet. 

Dessa maneira, ao encontrar um pet perdido, é possível levá-lo ao veterinário para acessar as informações do microchip e entrar em contato com o tutor. Já o histórico de saúde é útil para alertar sobre a necessidade de cuidados especiais.

Como funciona o microchip em cães?

Para que seja realmente útil, é fundamental que o identificador eletrônico do pet esteja devidamente cadastrado em algum banco de dados, como prefeitura local, Abrachip, Animalltag, entre outras. Também é importante manter as informações sempre atualizadas.

Funciona assim: digamos que um pet possua um microchip e que ele já foi cadastrado em um banco de dados. Para acessar as informações, é necessário que o veterinário possua um leitor de microchip. Esses leitores identificam o dispositivo de diferentes marcas, independentemente do banco de dados ao qual as informações estejam ligadas.

Ao passar o leitor na pele do cachorro, ele vai identificar e fazer a leitura do dispositivo, apresentando um número. Com ele em mãos, basta acessar os sites dos bancos de dados para obter informações, como registro de vacinas, medicações, consultas, cirurgias e contato do tutor.

De que maneira o chip ajuda na localização de cães perdidos?

Mesmo que não tenha a função de rastreamento, o microchip em cães é uma ferramenta importante para promover a recuperação de animais perdidos. Mas, para isso, a Dra. Karina explica que é fundamental haver uma maior conscientização sobre o uso do dispositivo. 

cachorro preto com língua para fora

“Assim, em situações de perda, a pessoa que encontrou o pet poderá levá-lo ao veterinário, que poderá passar o leitor, ver o código e acessar o dossiê com informações do tutor” diz a especialista. 

Nesse sentido, a Dra. Giuliana Tessari, médica-veterinária responsável pelo setor de adoção da Petz, diz que o uso do microchip em cachorro deve ser feito em conjunto com o uso da placa identificadora na coleira que, além do nome do pet, também deve trazer o telefone de contato do tutor.

Como o microchip é colocado?

A aplicação do chip para cachorro é feita por meio de uma seringa especial. “Depois de feita a limpeza do local — geralmente, na região da nuca —, coloca-se o aplicador de maneira subcutânea, e o microchip é inserido como se fosse uma medicação”, diz Karina. 

De acordo com a veterinária, colocar chip no cachorro é um procedimento rápido e praticamente indolor. “Pode ser um incômodo em cães pequenos, mas os maiores quase não sentem a picada”, diz. Vale destacar que, para ser seguro e eficaz, é fundamental que o procedimento seja feito por um veterinário.

Independentemente do porte do pet, os microchips têm o tamanho de um grão de arroz. Ademais, o custo do procedimento varia de R$ 150 a R$ 200, dependendo da clínica e da localidade.

É verdade que o uso de microchip tem ajudado a diminuir o número de pets abandonados?

Sim! O uso obrigatório de microchip tem sido amplamente apoiado por ONGs ligadas à causa animal em alguns países. Isso porque, uma vez que o dispositivo também contém os dados do tutor, ele ajuda a inibir o abandono, já que o responsável pode ser rapidamente localizado e punido. 

Além, é claro, de o microchip ajudar na localização do pet em casos de fuga. Nesse caso, você sabia que todos os cães e gatos colocados para adoção aqui na Petz já vêm microchipados? 

cachorro com a língua de fora

Agora que você sabe como funciona o chip para cachorro, confira o blog da Petz e tenha acesso a outros conteúdos sobre bem-estar animal!

Compartilhe:

#

Petz

Aqui você encontra tudo e um pouco mais sobre o incrível mundo animal e fica por dentro dos cuidados essenciais com seu bichinho de estimação, seja para um cachorro, gato, passarinho, hamster, peixes e muitos outros — ou todos eles!

Petz

#

Aqui você encontra tudo e um pouco mais sobre o incrível mundo animal e fica por dentro dos cuidados essenciais com seu bichinho de estimação, seja para um cachorro, gato, passarinho, hamster, peixes e muitos outros — ou todos eles!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *