Descubra como são os cachorros terapeutas

Postado por PETZ, em Atualizado em May 26, 2021

Cães
Descubra como são os cachorros terapeutas
Tempo de leitura: 4 minutos

Quem tem um cãozinho em casa não duvida de que os bichinhos podem fazer milagres, não é mesmo? Pois saiba que essa concepção não se restringe apenas aos amantes dos peludos. O uso de cachorros terapeutas para tratamentos de humanos é cada dia mais indicado por médicos e pesquisadores. 

cachorro sorrindo

A personalidade encantadora dos peludos é muito benéfica para pacientes que estão sob tratamento de certas enfermidades. Sendo assim, se quiser saber mais sobre a terapia com cachorros, continue lendo este texto. Vamos explicar tudo sobre o assunto! 

O que é a cinoterapia?

A palavra pode parecer um pouco estranha, mas seu significado é muito simples. “Cino” que dizer cachorro em grego. Assim, cinoterapia nada mais é que uma terapia com cães

O uso de animais no tratamento de diferentes enfermidades é uma prática antiga. Pesquisas indicam que os europeus foram os primeiros a utilizar cachorros terapeutas e outros pets para auxiliar pessoas doentes. 

No Brasil, a professora Nise da Silveira foi uma das pioneiras, tendo introduzido a terapia assistida por animais no tratamento de pessoas com esquizofrenia. Com o passar do tempo, mais e mais pesquisas comprovaram a eficácia desse método.

Benefícios da cinoterapia

De acordo com muitos estudos, o tratamento com cães de terapia oferece identificação entre o paciente e o animal. Dessa forma, a confiança da pessoa adoentada vai aumentando, o que é muito vantajoso para a saúde mental. 

Esses benefícios são sentidos logo no início do tratamento. Pesquisas apontam que após 15 minutos de contato com um cachorro, algumas pessoas podem apresentar melhora nos seguintes quadros:

  • Ansiedade;
  • Pressão arterial;
  • Alta frequência cardíaca; 
  • Triglicérides;
  • Colesterol; 
  • Estresse;
  • Depressão. 

Além disso, a cinoterapia oferece a sensação de bem-estar aos pacientes, o que é muito útil para a recuperação. Isso porque o contato com os peludos estimula a produção de endorfina e adrenalina, dois hormônios importantes para nos sentirmos bem.

A médio e a longo prazo os benefícios são ainda maiores. De acordo com dados de institutos de zooterapia, após certo tempo de convivência com cachorros terapeutas, os pacientes podem  apresentar melhoras na(o):

  • Socialização;
  • Comunicação; 
  • Memória;
  • Concentração;
  • Afetividade;
  • Autoestima; 
  • Prática de atividades físicas;
  • Estabelecimento de vínculos.

Como é o trabalho de um cão terapeuta?

Infelizmente, nem todo pet tem o temperamento certo para se tornar um cachorro terapeuta. A Dra. Alessandra Pedroso, médica-veterinária da Petz, explica que há um padrão de exigências rigoroso ao qual os cães devem atender para desempenharem a cinoterapia

Cães terapeutas precisam ter um perfil calmo e pacífico, além de poder lidar com diferentes faixas etárias, como crianças e idosos. Alguns dos traços de personalidade essenciais são:

  • Calma;
  • Adestramento básico;
  • Boa convivência com pessoas de todas as idades;
  • Boa convivência com outros animais;
  • Conseguir manter a calma em situações de estresse;
  • Não ter registro de agressividade. 

Além disso, a saúde e a higiene do bichinho devem estar em dia. Afinal de contas, não podemos nos esquecer de que o peludo vai visitar pessoas com a saúde fragilizada. 

cachorro segurando a mão de pessoa

“Existe um protocolo a ser seguido”, explica a Dra. Alessandra. “Os pets devem estar com a vacinação e a vermifugação em dia, não podem ter pulgas nem ingerir carne ou leite. Além disso, devem estar sadios, limpos e escovados, para assim garantir uma visita segura”, continua a veterinária. 

Com as características acima e algum treinamento, o pet logo poderá iniciar sua vida de cão terapeuta! É importante ressaltar, porém, que essa não é uma profissão de tempo integral. 

Diferentemente do cão de assistência, o pet terapeuta faz visitas ocasionais a uma instituição, auxiliando os pacientes. Fora dali, segue sua vida de cachorro comum, sem muitas responsabilidades. Assim, o treinamento precisa ser seguido, mas não é tão intenso como o de um cão-guia, por exemplo. 

Quando a cinoterapia é receitada?

De uma maneira geral, a cinoterapia pode ser receitada para diferentes doenças, desde quadros leves até pacientes com deficiências graves. Tudo vai depender da orientação do médico. A Dra. Alessandra explica que o cachorro terapeuta costuma ser mais utilizado nos seguintes quadros:

  • Ansiedade;
  • Autismo;
  • Transtornos sociais;
  • Deficiências de aprendizagem;
  • Esquizofrenia;
  • Pacientes hospitalizados;
  • Pacientes com câncer. 

Entretanto, devemos nos lembrar de que quando o assunto é saúde, o médico é a autoridade máxima. Cabe ao especialista verificar se a cinoterapia poderá trazer benefícios para o paciente. Caso tenha interesse nesse tipo de tratamento, procure seu médico e tire todas as dúvidas sobre o método. 

cachorro olhando para a câmera

Agora, se você quer que o seu peludo ajude outras pessoas, pesquise qual instituição de saúde da sua cidade oferece esse tipo de tratamento. Alguns hospitais e clínicas aceitam cãezinhos e, após uma análise e treinamento, convidam os pets para ajudar na recuperação de seus pacientes. 

Prontinho, agora você já sabe tudo sobre cachorros terapeutas. Para mais conteúdos sobre animais de estimação, não deixe de ficar de olho no blog da Petz. Por aqui você encontra muitas curiosidades e dicas sobre seu amigo peludo!

Compartilhe:

#

Petz

Aqui você encontra tudo e um pouco mais sobre o incrível mundo animal e fica por dentro dos cuidados essenciais com seu bichinho de estimação, seja para um cachorro, gato, passarinho, hamster, peixes e muitos outros — ou todos eles!

Petz

#

Aqui você encontra tudo e um pouco mais sobre o incrível mundo animal e fica por dentro dos cuidados essenciais com seu bichinho de estimação, seja para um cachorro, gato, passarinho, hamster, peixes e muitos outros — ou todos eles!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *