Coprofagia: causas e o que fazer para que o cão pare de ingerir as próprias fezes

Postado por PETZ, em Atualizado em Oct 23, 2018

Cães
Coprofagia: causas e o que fazer para que o cão pare de ingerir as próprias fezes
Tempo de leitura: 4 minutos

Não se trata só de um hábito, digamos… pouco apetitoso. Além de tornar as lambidas que recebemos menos agradáveis, a coprofagia, isto é, o ato de comer fezes, também pode ser sintoma de algum problema de saúde. Isso sem contar que, ao ingerir fezes de animais contaminados, seu amigo ainda pode pegar doenças como giardíase, verminoses, entre outros.

Por isso, se o seu cachorro come as próprias fezes, não deixe para lá! O melhor a fazer é investigar o que é coprofagia e os motivos que o levam a fazer isso para, assim, buscar solução do problema. Agora, vamos te explicar um pouco mais sobre esse assunto tão importante. Vem com a gente?

Por que meu cachorro come as próprias fezes?

Não existe uma única causa para a coprofagia. De acordo com as médicas-veterinárias Juliana Cury e Karina Mussolino, da Petz, ela pode ter origem tanto em fatores fisiológicos quanto comportamentais.

Causas fisiológicas

Do lado fisiológico, Juliana explica que os motivos mais comuns dizem respeito à nutrição. Como exemplo, ela cita que cães com dietas inadequadas podem recorrer à coprofagia como forma de buscar mais nutrientes. Da mesma maneira, cachorros com polifagia (apetite excessivo anormal) ou que estejam fazendo alguma dieta restritiva para perda de peso também podem apresentar o comportamento.

Em outros casos,  notar um cachorro que come fezes, pode ser sinal de um problema de má- absorção, como, por exemplo, insuficiência hepática ou doenças intestinais.“Nessas situações, o pet pode precisar de nutrientes adicionais e buscar suplementação por meio da coprofagia”, diz Juliana. Por isso, é sempre importante investigar.

Causas comportamentais

Já do ponto de vista comportamental, as causas são igualmente variadas. No entanto, segundo a veterinária, uma das mais comuns é fazer isso para chamar a atenção do tutor. Isso mesmo! “A atenção dada imediatamente após a ingestão das fezes, mesmo que negativa, pode estimular o comportamento”, explica Juliana.

Aliás, a “atenção negativa” pode estar por trás da coprofagia também de outra maneira. “Tutores que utilizam técnicas de reforço negativo, como esfregar o focinho do pet nas fezes e dar broncas verbais, fazem com que ele associe a punição ao ato de defecar e não ir ao local”, esclarece a veterinária. Assim, seu amigo pode passar a ingerir as fezes a fim de escondê-las.

Sabemos que não é normal cachorro comer fezes, porém, existe, uma causa bem chocante para essa atividade “peculiar”. Alguns cães comem fezes porque gostam do cheiro, da textura e do sabor”, finaliza a médica. Eca!

Coprofagia: ela tem a ver com a raça?

Ainda não há pesquisas conclusivas a respeito do assunto. Mas, como curiosidade, a Dra. Juliana Cury diz que um estudo publicado no periódico “Veterinary Medicine and Science”, realizado pelos pesquisadores Benjamin e Lynette Hart, da Universidade da Califórnia, avaliou que os Hounds e Terriers seriam os mais propensos a comer as próprias fezes. Já os poodles são considerados os menos inclinados a fazer isso.

“Na realidade brasileira, mais comumente são as raças pequenas que apresentam o comportamento”, diz a veterinária. Nesse sentido, ela cita como exemplo os cães das raças Shih-Tzu, Yorkshite, Spitz Alemão e Lhasa-Apso. Embora cães de maior porte e, até mesmo, gatos também possam apresentar o quadro.

Como fazer cachorro parar de comer fezes?

Identificar a causa da coprofagia é o primeiro passo para começar a tratá-la. Isso não só porque o procedimento adequado está diretamente ligado a ela, mas também porque, como dito anteriormente, o hábito pode ser um sintoma de doenças mais graves, de modo que o tratamento é essencial para garantir a saúde do pet. 

A seguir, confira recomendações feitas pela veterinária de como tratar e prevenir a coprofagia:

  • Ofereça somente rações balanceadas e de qualidade;
  • Para quem prefere a alimentação caseira, procure um nutricionista veterinário para que ele monte um cardápio de acordo com as necessidades específicas do seu amigo;
  • Se possível, recolha as fezes imediatamente após a defecação;
  • Não utilize o reforço negativo para ensinar ao pet onde fazer suas necessidades. Em vez disso, recompense-o com petiscos, brinquedos e carinho sempre que ele as fizer no lugar certo;
  • Lembre-se que as broncas, muitas vezes, servem apenas como fonte de atenção para o cachorro e não como forma educativa;
  • Tente não recolher as fezes na frente do pet. Em alguns casos, isso pode levá-lo a querer “remover” as próprias fezes na sua ausência,
  • Hoje em dia, na Petz você encontra produtos capazes de dar cheiro e sabor desagradável para as fezes, desencorajando o pet a ingeri-las.

Lembrando que, antes de qualquer medida, o veterinário sempre deve ser consultado a fim de descartar a possibilidade de doenças e para orientar a respeito de uma alimentação balanceada!

Compartilhe:

#

Petz

Aqui você encontra tudo e um pouco mais sobre o incrível mundo animal e fica por dentro dos cuidados essenciais com seu bichinho de estimação, seja para um cachorro, gato, passarinho, hamster, peixes e muitos outros — ou todos eles!

Petz

#

Aqui você encontra tudo e um pouco mais sobre o incrível mundo animal e fica por dentro dos cuidados essenciais com seu bichinho de estimação, seja para um cachorro, gato, passarinho, hamster, peixes e muitos outros — ou todos eles!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

1 Comentários

Yara - 13/11/2019

Obrigada por esclarecer,minha filhotinha será melhor cuidade!
Fico desesperada quando percebo que ela comeu o cocô…