Gato com Síndrome de Down: mito ou verdade?

Postado por PETZ, em 16/03/2020

Bem-Estar
Gato com Síndrome de Down: mito ou verdade?

Será que existe gato com Síndrome de Down? Provavelmente você já viu alguma imagem de um bichano com características marcantes. Entretanto, será que se trata de uma identidade igual ou semelhante à encontrada nos humanos? Por que isso ocorre? Há algum cuidado especial para esses pets? 

Consultamos uma especialista para tirar essas dúvidas. Continue lendo e aprenda sobre gato com Síndrome de Down e outras curiosidades sobre os bichanos!

Entendendo a Síndrome de Down

Antes de falarmos sobre gato que tem Síndrome de Down, é importante entendermos o que é essa condição e por que ela ocorre. Também chamada de trissomia do cromossomo 21, é uma alteração genética que ocorre quando há uma modificação na divisão celular durante a fase embrionária. 

Assim, quando o feto ainda está se formando, a pessoa com Síndrome de Down desenvolve três pares do cromossomo 21 ao invés de apenas dois. Homens e mulheres com essa identidade geralmente possuem alguns traços marcantes, como cabeça arredondada, olhos amendoados e comprometimento intelectual.

Devemos lembrar que a Síndrome de Down não é uma doença. Hoje, há uma grande busca por maior conhecimento e reconhecimento dos direitos das pessoas com essa condição.

Existe gato com Síndrome de Down?

Você provavelmente já encontrou fotos de bichanos com características que lembram a Síndrome de Down. Mas será que esses gatos possuem uma condição parecida à encontrada nos humanos? 

Apesar das semelhanças, especialistas afirmam que não existe Síndrome de Down em gatos. “Essa é uma alteração exclusiva dos humanos”, explica a Dra. Cássia Paulon, médica-veterinária da Petz. 

Ou seja, as modificações genéticas semelhantes em outras espécies terão outros nomes e características. Além disso, a especialista explica que é impossível um gato com trissomia 21. “Isso porque gatos possuem apenas 19 pares de cromossomos”, complementa.  

Assim, nosso amigo peludo com características físicas marcantes pode até parecer um gato com Síndrome de Down, mas, na verdade, possui outra identidade.

https://www.instagram.com/p/B5VyDhBAZyO/

Gato com Síndrome de Down: características semelhantes

Como os bichanos apresentam apenas 19 pares de cromossomos, é impossível que eles tenham uma condição semelhante à humana. Entretanto, ainda encontramos felinos com características que lembram um gato com Síndrome de Down. Por que isso ocorre? 

A Dra. Cássia explica que os pets também podem possuir alterações que levem a características físicas e intelectuais. Segundo a especialista, os principais sinais que levam um tutor a acreditar que os gatos podem ter Síndrome de Down são:

  • Olhos separados;
  • Nariz achatado;
  • Estrabismo;
  • Físico corpulento;
  • Mandíbula fraca;
  • Problemas de coração;
  • Dificuldade motora,
  • Comportamento distinto de outros bichanos.

As características acima muitas vezes lembram a trissomia do cromossomo 21. No entanto, especialistas informam que nem sempre esses traços significam uma deficiência. Muitas das características físicas podem ser apenas parte da aparência única do bichano. 

Algumas raças, por exemplo, apresentam naturalmente o nariz achatado ou orelhas pequenas. Em relação aos sintomas de comportamento ou complicações de saúde, a veterinária explica que eles provavelmente possuem outra origem, distinta da Síndrome de Down.

Deficiências comuns em gatos

De acordo com especialistas, um gato com Síndrome de Down, na verdade, apresenta outra condição que pode ou não ser considerada uma deficiência. Caso as características sejam apenas externas, provavelmente são apenas traços físicos dos bichanos.

Entretanto, se houver reflexo no comportamento ou no organismo do pet, pode ser uma questão mais grave. Entre as condições que se assemelham a um gato com Síndrome de Down e sintomas, podemos citar:

  • Hipoplasia cerebelar: uma condição neurológica relacionada ao desenvolvimento do cérebro quando o pet ainda está na barriga. O problema ataca o cerebelo, importante no controle dos movimentos. 

Os sinais da hipoplasia cerebelar são: corpo arqueado, dificuldade de locomoção, lentidão, dificuldade em identificar objetos.

  • Panleucopenia felina: esta doença é grave e muito contagiosa. Ataca diversos sistemas dos gatos e, caso a bichana esteja grávida, pode afetar também seus bebês. 

Um pet que sobreviveu a uma gestação com panleucopenia felina pode ter sintomas que lembrem a Síndrome de Down, desde características físicas até comprometimento intelectual.

  • Traumas e infecções: de uma maneira geral, qualquer trauma ou infecção, especialmente entre os que afetam o sistema neurológico, pode gerar sintomas que lembram a Síndrome de Down em gatos. 

Essas características costumam aparecer especialmente se a doença ocorre ainda no útero ou em gatos muito jovens.

Apesar de serem condições comuns, que podem levar um tutor a confundir-se com um felino com Síndrome de Down, devemos lembrar que cada bichano tem suas próprias características. 

Caso você desconfie que seu pet possui alguma deficiência ou doença, busque um veterinário. O especialista saberá realizar um diagnóstico e receitar um tratamento, caso seja necessário.

Pets com deficiência

Pets são únicos e especiais, inclusive os com deficiência. Se você tem um gato com uma condição de saúde, não se preocupe. Com algumas adaptações, seu amigo poderá ter uma vida confortável e feliz, trazendo muitas alegrias para toda a família. A Dra. Cássia lembra alguns cuidados que devemos ter com gatos com deficiência:

  • Higiene: bichanos com deficiência muitas vezes possuem dificuldade em se limpar sozinhos. Visitas a centros de estética deixarão seu amigo mais bonito e saudável;
  • Alimentação: muitas vezes, um pet com uma condição de saúde necessita de uma alimentação específica. Consulte um veterinário para verificar a introdução de ração medicamentosa,
  • Ambiente: o bichano com deficiência pode ter dificuldade de locomoção. Nesses casos, o indicado é oferecer ração e água em abundância para seu amigo, deixando os acessórios sempre nos mesmos locais. Dessa forma, há menor risco de o pet se confundir.

Além dos cuidados acima, um gato com deficiência irá precisar dos cuidados básicos. Manter a vacinação em dia, vermifugação regular e visitas rotineiras ao veterinário é essencial para uma boa saúde. Ah, e claro: amor e carinho são sempre importantes ao cuidarmos de um pet.

Precisa de itens para seu filho de quatro patas? A Petz possui ração, brinquedos e acessórios que deixarão seu lar ainda mais confortável! Procure a unidade mais próxima ou acesse nossa loja virtual! 

Compartilhe:

#

Petz

Aqui você encontra tudo e um pouco mais sobre o incrível mundo animal e fica por dentro dos cuidados essenciais com seu bichinho de estimação, seja para um cachorro, gato, passarinho, hamster, peixes e muitos outros — ou todos eles!

Petz

#

Aqui você encontra tudo e um pouco mais sobre o incrível mundo animal e fica por dentro dos cuidados essenciais com seu bichinho de estimação, seja para um cachorro, gato, passarinho, hamster, peixes e muitos outros — ou todos eles!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *