Piometra: saiba tudo sobre essa doença séria que afeta as cadelas

Postado por PETZ, em Atualizado em Aug 8, 2018

Saúde e Cuidados
Piometra: saiba tudo sobre essa doença séria que afeta as cadelas
Tempo de leitura: 2 minutos

Pode até ser que você nunca tenha ouvido falar em piometra. Mas, não se engane! Apesar do nome diferente, infelizmente, trata-se de um problema grave, mas muito comum em cadelas não castradas. E que, se não tratado, pode até levar à morte da pet.

Por isso mesmo, é muito importante que os tutores de cadelas saibam o que é, como reconhecer os sintomas, qual é o tratamento e, principalmente, o que fazer para prevenir a piometra.

O que é a piometra em cadelas?

piometra

De maneira simplificada, a piometra nada mais é que uma infecção uterina. O que ocorre é que, durante o período de cio da cadela, seu útero fica mais exposto e suscetível à contaminação por bactérias.

Dentro do útero, essas bactérias passam a se alojar no endométrio, onde, graças ao estímulo hormonal, encontram o ambiente ideal para sua proliferação, desencadeando o processo de infecção.

Sintomas de Piometra

Antes de falar nos principais sintomas de piometra, é válido saber que existem dois tipos da doença: a aberta e a fechada. Enquanto no primeiro tipo é possível observar a presença de uma secreção vaginal com pus, no segundo,  isso não ocorre, tornando-se muito mais difícil reconhecer.

Sendo assim, é importante que o tutor fique atento a qualquer um destes sinais:

  • falta de apetite;
  • fraqueza;
  • dor e aumento de volume abdominal;
  • presença de secreção vaginal (no caso da piometra aberta);
  • febre;
  • aumento no consumo de água,
  • excesso de xixi.

Lembrando que os sintomas pioram conforme o avanço da doença, podendo levar a cadela até mesmo a perder a consciência. Portanto, se sua cachorra não é castrada, fique atento e procure ajuda logo nos primeiros sinais de que algo não vai bem.

Piometra canina: tratamento

Caso suspeite que sua pet possa estar com piometra, leve-a imediatamente para uma consulta no veterinário. Durante a visita, ele poderá solicitar o ultrassom abdominal a fim de confirmar ou descartar o diagnóstico da doença. Além de pedir exames de sangue capazes de apontar até que ponto a infecção afetou o organismo.

Quanto ao tratamento, a forma mais segura e eficaz de tratar a infecção é fazendo a remoção cirúrgica de útero e ovário (ovariohisterectomia), e recorrendo aos antibióticos. O período mínimo de internação é de 48 horas, momento em que também devem ser solicitados exames para controlar e monitorar a infecção.

E atenção ao pós-operatório! Nessa fase, a cadela precisará de atenção especial, com uso de analgésicos, roupa e colar cirúrgico. Além disso, também é muito importante que os retornos solicitados pelo veterinário sejam respeitados para que ele possa reavaliar a paciente.

O que fazer para prevenir a piometra em cadelas?

Sabe como os veterinários estão sempre recomendando a castração dos cachorros, de preferência antes que atinjam a maturidade sexual?

Pois bem, no caso das cadelas, a prevenção da piometra é um dos motivos para isso. Afinal, ao terem o útero removido, elas ficam impossibilitadas de desenvolver a doença, assim como a castração diminui o risco de diversos outros problemas ligados aos hormônios sexuais.

Sendo sua cadela castrada ou não, nunca deixe de levá-la regularmente para consultas com o veterinário. Na Petz você encontra uma equipe de veterinários experientes e qualificados que podem ajudar tanto na prevenção quanto no tratamento de doenças nos animais de estimação. Procure agora a unidade mais próxima de você!

Compartilhe:

#

Petz

Aqui você encontra tudo e um pouco mais sobre o incrível mundo animal e fica por dentro dos cuidados essenciais com seu bichinho de estimação, seja para um cachorro, gato, passarinho, hamster, peixes e muitos outros — ou todos eles!

Petz

#

Aqui você encontra tudo e um pouco mais sobre o incrível mundo animal e fica por dentro dos cuidados essenciais com seu bichinho de estimação, seja para um cachorro, gato, passarinho, hamster, peixes e muitos outros — ou todos eles!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *