Você sabia que existe banco de sangue veterinário?

Postado por PETZ, em 11/03/2019

Bem-Estar
Você sabia que existe banco de sangue veterinário?

No mundo pet existem algumas especialidades que muitos nem imaginam, até se deparar com elas pela primeira vez. O banco de sangue veterinário para cães e gatos com certeza é uma delas, afinal, em acidentes graves, pode acontecer de um pet perder muito  sangue e necessitar imediatamente de uma transfusão.

Segundo a Dra. Letícia Pereira, médica-veterinária da Petz, a maioria das transfusões são feitas com bolsas processadas de bancos de sangue. “Só em casos específicos, quando não temos bolsas disponíveis, realizamos a transfusão de sangue total, mediante a presença de um doador trazido ao hospital pelo tutor do paciente”, completa a doutora.

Saiba mais sobre como funciona doação de sangue animal, e de que forma a hemoterapia ajuda a salvar a vida de muitos bichinhos de estimação!

Como funciona o banco de sangue veterinário

Ainda pouco numerosos, os hemocentros veterinários operam de forma bastante semelhante às clínicas para humanos. Isso significa, principalmente, que eles também precisam de doadores para manter o estoque de bolsas.

Mas, não são todos os cães ou gatos que podem doar sangue. Para garantir a segurança tanto do doador como do receptor, é preciso que o pet atenda a alguns critérios de idade e peso e ainda passe por exames laboratoriais, que devem assegurar que ele está em boas condições, não sofrerá a falta do sangue doado e não vai transmitir doenças ao receptor. Se o pet estiver apto para ser um doador, ele será encaminhado para a coleta.

Realizada somente por veterinários, ela é feita com material estéril e descartável, novamente de forma bem parecida com a coleta de sangue de humanos. Depois, a bolsa de sangue é mantida no laboratório, onde passa por mais alguns exames, antes de estar liberada para a transfusão.

Existe tipo de sangue para cães e gatos?

Os dois animais possuem diversidade no tipo sanguíneo. No entanto, não têm, para os cães, a mesma importância que têm para nós, humanos, e, por isso, as bolsas não são separadas por esse critério.

Embora os primeiros estudos sobre o assunto tenham sido feitos em 1910, até hoje não se sabe ao certo de que forma o sistema funciona, e novos tipos sanguíneos continuam sendo descobertos entre os cachorros.

O que se sabe é que são sete tipos principais, podendo haver cãezinhos da mesma raça com tipos diferentes de sangue e haver tipos iguais entre raças distintas. Os tipos, porém, podem se combinar, o que significa que, entre outras peculiaridades, os cães podem ter uma mistura de tipos sanguíneos.

Por tudo isso, na hora de armazenar as bolsas, mais importante do que a tipagem é a separação dos componentes sanguíneos em concentrado de hemácias, de plaquetas, em plasma fresco congelado ou em crioprecipitado.

Apesar de não ser feito por todo banco de sangue pet, o procedimento contribui para que o cão receptor obtenha exatamente o que precisa, reduzindo os riscos de reações adversas nas transfusões.

Já os gatos têm três tipos sanguíneos: A, B e AB. No Brasil, a maioria é do tipo A, mas, para os felinos, a tipagem do sangue do receptor e do doador é importante para evitar reações fatais e pode ser feita de forma bastante rápida.

Saiba como o pet pode se tornar doador

Como falamos acima, por questões de segurança, não são todos os pets que podem se tornar doadores. Antes de passar pela triagem laboratorial, é preciso preencher alguns pré-requisitos:

Para transfusão de sangue em cães é preciso que o animal tenha entre 1 e 7 anos, além disso, é importante que seu peso seja maior que 25kg. Os gatos devem ter de 1 a 8 anos e pesar mais de 5kg.

Nos dois casos, os bichos precisam estar devidamente vacinados, vermifugados e prevenidos contra ectoparasitas. Também é fundamental que o pet seja clinicamente saudável, tenha temperamento dócil e não esteja prenhe.

E aí, seu cão ou gato está apto a doar sangue? Se estiver, não tenha medo! De acordo com a Dra. Letícia, o importante é procurar bancos bem equipados e de confiança. Feito isso, eles saberão calcular a quantidade de sangue a ser coletada, evitando riscos ao doador.

Onde posso levar o meu pet para doação de sangue?

Para quem ficou interessado em levar o bichinho de estimação para doar sangue, a primeira coisa a fazer é procurar um banco de sangue veterinário para agendar a triagem.

Fique de olho também no calendário de eventos da Petz para se informar sobre campanhas de doação de sangue em nossas unidades!

Compartilhe:

#

Petz

Aqui você encontra tudo e um pouco mais sobre o incrível mundo animal e fica por dentro dos cuidados essenciais com seu bichinho de estimação, seja para um cachorro, gato, passarinho, hamster, peixes e muitos outros — ou todos eles!

Petz

#

Aqui você encontra tudo e um pouco mais sobre o incrível mundo animal e fica por dentro dos cuidados essenciais com seu bichinho de estimação, seja para um cachorro, gato, passarinho, hamster, peixes e muitos outros — ou todos eles!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *