Saiba como lidar com o estresse do cachorro no banho e tosa

Postado por PETZ, em Atualizado em Feb 1, 2019

Banho e Tosa
Saiba como lidar com o estresse do cachorro no banho e tosa
Tempo de leitura: 4 minutos

Para nós, o banho quase sempre está associado a uma experiência bastante relaxante. Mas imagine se, para tomá-lo, você tivesse que ir para um lugar estranho, com pessoas desconhecidas, cercado por diversos barulhos com os quais você não está acostumado? Talvez você também se sentisse um pouco estressado, não é mesmo? Com o cachorro no banho é assim!

Por isso, ainda que nem todos os cães se mostrem assustados, não há dúvida de que o banho pode ser uma experiência desafiadora para alguns pets. Para ajudá-lo a lidar com essa situação, seguem algumas dicas, com o objetivo de tornar o banho do seu cão o mais gostoso possível.

Socialize o pet antes do banho

Muita gente pensa que os cuidados com o cachorro no banho e tosa começam só com a escolha do local. Ledo engano! Esse preparo começa muito antes.

Além do ambiente e dos estímulos desconhecidos, um dos grandes desafios enfrentados pelo cão na hora do banho está no fato de ele ter de sair de perto do tutor para ficar na companhia de estranhos. Por isso, um pet sociável e acostumado a passar algum tempo longe do responsável tende a sofrer bem menos do que aqueles animais que padecem de ansiedade com a separação.

“A forma de criação do cachorro interfere muito no comportamento dele durante o banho”, diz a Dra. Larissa Seibt, médica-veterinária da Petz. “Um cão que nunca sai de casa já começa o quadro de estresse ao ser transportado para o pet shop”, explica.

Por isso, antes de levar o cachorro para tomar os primeiros banhos, procure apresentá-lo a diferentes situações. Lembrando sempre que, essa exposição só deve acontecer depois de uma conversa com um veterinário a respeito das vacinas.

A primeira impressão é a que fica

Obviamente, todo bom tutor quer o melhor para o pet em qualquer fase da vida dele. No entanto, a escolha do local para o primeiro banho e tosa deve ser ainda mais cuidadosa, já que eventuais traumas nessa estreia podem dificultar o procedimento no futuro.

“Se, desde o início, mostrarmos para o pet que não se trata de uma experiência ruim, ele dificilmente oferecerá resistência nas próximas vezes”, diz a Dra. Larissa.

Então, como escolher o banho e tosa?

  • Opte por um local de confiança, com profissionais carinhosos e especializados;
  • Dê preferência a pet shops que realizem o banho em local bem arejado e visível para os tutores;
  • Verifique se as banheiras são adequadas e se possuem antiderrapantes, para maior conforto do cachorro;
  • Acompanhe visualmente o banho, ficando, se possível, em um lugar onde o pet também possa vê-lo, para que ele se sinta mais tranquilo e confiante,
  • Verifique também os cuidados com cachorro no banho que os profissionais têm, observando se, ao manusear a água, eles protegem as narinas e os ouvidos do pet.

Fique atento aos sinais de estresse

Se você já leva o seu pet para tomar banho há algum tempo, mas não tem certeza se ele encara a experiência numa boa, procure ficar atento aos seguintes sinais:

  • Agitação e irritação;
  • Latidos excessivos;
  • Tremores corporais;
  • Comportamento agressivo com o banhista ou o tosador,
  • Episódios de micção e defecação durante o procedimento.

A Dra. Larissa ressalta que o estresse pode desencadear alterações orgânicas decorrentes da queda de imunidade ou de variações hormonais.

Por isso, se perceber que seu filho de quatro patas não está lidando bem com o banho, não trate esse problema como uma questão irrelevante. Converse com os profissionais para que eles possam ajudá-lo e, se nada mudar, procure um outro local para o banho e tosa.

Como reverter o trauma do banho?

Para os pets que estão tendo problemas na hora de tomar banho, a boa notícia é que, com dedicação, é possível reverter o quadro. “Nesses casos, é importante optar por profissionais carinhosos e comprometidos, com paciência para tratar o pet medroso”, orienta a Dra. Larissa. Além disso, a temperatura adequada da água, os secadores menos barulhentos e o uso de antiderrapantes podem aumentar a sensação de conforto do animal.

Durante o processo de adaptação, os tutores também podem participar ativamente, ajudando a transformar a experiência em algo positivo. Para isso, a veterinária sugere que, além de permanecer no estabelecimento durante o banho, o responsável garanta que o trajeto até lá seja feito sem estresse e de maneira bem alegre.

“Também existem medicamentos que deixam o pet mais calmo, como os fitoterápicos e os florais para cachorro estressado, que podem ser utilizados antes do banho”, sugere a Dra. Larissa.

A médica-veterinária enfatiza que o banho pode ー e deve! ー ser um momento divertido e refrescante para o pet. Conte com o centro de estética da Petz para te ajudar a proporcionar esse prazer para o seu filho de quatro patas!

Compartilhe:

#

Petz

Aqui você encontra tudo e um pouco mais sobre o incrível mundo animal e fica por dentro dos cuidados essenciais com seu bichinho de estimação, seja para um cachorro, gato, passarinho, hamster, peixes e muitos outros — ou todos eles!

Petz

#

Aqui você encontra tudo e um pouco mais sobre o incrível mundo animal e fica por dentro dos cuidados essenciais com seu bichinho de estimação, seja para um cachorro, gato, passarinho, hamster, peixes e muitos outros — ou todos eles!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *