O que é gato semi-feral e qual diferença para o doméstico?

Postado por PETZ, em 28/07/2021

Comportamento
O que é gato semi-feral e qual diferença para o doméstico?

O que é um gato semi-feral? Se você ama esses bichanos e tem um ou mais em sua casa, provavelmente sabe que a origem dos pets nem sempre é a mesma. Enquanto uns animais são comprados e têm pedigree, outros são adotados.

Nesse caso, o bichano pode tanto ser filho de uma gata que já morava em um lar, mas cujo tutor não pôde ficar com os filhotes e doou, quanto vindo da rua. Afinal, existem muitos animais abandonados que, por vezes, se comportam como gatos selvagens.

gato na grama

Porém, às vezes, uma pessoa que sabe como domesticar um gato decide resgatar esse animal, retirá-lo da rua e levá-lo para casa. Mas qual a relação de tudo isso com o gato semi-feral? 

O local onde os felinos vivem e a maneira como eles sobrevivem altera seu comportamento. Assim, podem ser classificados como gatos semi-feral, feral, doméstico ou com pedigree. Veja o que significa cada um deles e as diferenças. 

O que é gato semi-feral?

Há muitos gatos que vivem na rua, em situação de abandono. A origem desses animais varia bastante. Enquanto alguns foram deixados nas ruas já adultos, outros nasceram de uma gatinha que já não tinha um lar. 

Seja como for, esses animais comumente têm um pouco de receio dos humanos. Embora vivam de restos de alimentos ou até de ração colocada por algumas pessoas nas portas das casas, não são amorosos. 

Eles têm medo por não terem passado pelo processo de aproximação com as pessoas e também por viverem em condições indesejadas. Assim, o gato que vive nas ruas, mas depende de revirar lixos ou da ajuda de alguém para se alimentar, é classificado como gato semi-feral. 

Qual a diferença do gato semi-feral para feral? 

Ao mesmo tempo em que há animais que moram nas ruas, mas precisam das pessoas para viver, ou seja, semi-feral, existem também outros que caçam. É isso mesmo! Os bichanos acabam aprendendo a sobreviver em condições adversas.

Eles moram em qualquer canto e vivem como se fosse um gato selvagem. A esses, que sobrevivem por meio do seu próprio instinto e se alimenta de suas caças, é dado o nome de gato feral: o gato selvagem. 

Qual é considerado o gato doméstico? 

O gato doméstico (Felis catus) é o que mora em lares e aprendeu a conviver com os humanos. Provavelmente, se você tem um bichano em casa, ele gosta de dormir na sua cama, recebe a melhor ração e tem todos os mimos que precisa para viver bem. Esse é um gato doméstico.

No geral, na maioria das vezes, esse animal aprendeu a conviver com os humanos desde pequeno. Isso é possível porque ele nasceu em uma casa, ou seja, sua mãe já estava adaptada às pessoas. Há também casos nos quais são resgatadas da rua bebês e acabam aprendendo a interagir com humanos. 

Seja qual for, o gato doméstico é o que é criado nos lares e depende do tutor para que tenha uma vida longa e feliz. Em algumas casas, só há um exemplar desse grupo, já em outras, vários bichanos moram no mesmo lar! 

E o gato com pedigree?

Esse é aquele bichano que tem a raça definida e toda a sua família devidamente registrada. Ele tem pedigree por isso. Tem a sua origem genética conhecida e carrega as características da sua raça.

gato caminhando

Esses animais são diferentes geneticamente? 

Embora o comportamento desses animais seja muito diferente, já que o feral vive completamente alheio ao convívio humano e o gato semi-feral é arisco e mora nas ruas, geneticamente eles são o mesmo gato. É isso mesmo! 

Os animais que reaprenderam a viver na mata e a caçar para sobreviver têm a mesma constituição genética que o seu pet, que está na sua casa. As únicas diferenças entre eles são o comportamento e as oportunidades de vida. 

Um gato semi-feral pode ser domesticado?

Pode! Mesmo um animal que está na rua e é bastante arisco pode voltar a confiar em um humano e viver em um lar. Para isso, será preciso pegá-lo, levá-lo para casa e ter alguns cuidados.

Afinal, o temperamento do gato semi-feral é de um animal que sofreu com o abandono. Assim, ele tem medo de muitas coisas. O seu novo tutor deverá ser paciente. Também é muito importante que o pet seja examinado por um médico-veterinário. O profissional poderá orientar quanto:

  • Ao manejo;
  • Uso de vermífugo;
  • Vacinação;
  • Alimentação adequada;
  • Possível tratamento, caso o animal esteja doente, e suplementação nutricional, se for o caso;
  • Castração, entre outros.  

Há também a possibilidade de usar um hormônio sintético, que é colocado em um aparelho e liberado no ambiente. Ele ajuda o animal a se acalmar e a se acostumar mais facilmente com a sua nova vida. 

gato bravo

Converse com o médico-veterinário sobre o uso dele e, se precisar, na Petz você o encontra!

Compartilhe:

#

Petz

Aqui você encontra tudo e um pouco mais sobre o incrível mundo animal e fica por dentro dos cuidados essenciais com seu bichinho de estimação, seja para um cachorro, gato, passarinho, hamster, peixes e muitos outros — ou todos eles!

Petz

#

Aqui você encontra tudo e um pouco mais sobre o incrível mundo animal e fica por dentro dos cuidados essenciais com seu bichinho de estimação, seja para um cachorro, gato, passarinho, hamster, peixes e muitos outros — ou todos eles!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *