Pênis de gato: mitos, verdades e principais doenças

Postado por PETZ, em Atualizado em Dec 7, 2020

Gatos
Pênis de gato: mitos, verdades e principais doenças
Tempo de leitura: 7 minutos

O pênis de gato é um órgão muito delicado, que possui diversas particularidades. Conhecer a anatomia do seu pet não é só interessante: é uma forma monitorar sua saúde, evitando complicações e doenças. 

gato gordo com fome

Os bichanos são conhecidos por seu comportamento independente, e cabe ao tutor estar atento aos sinais de alerta. Pensando nisso, separamos quatro curiosidades sobre o pênis de gato, informando também quais as principais doenças associadas. 

1. O pênis de gato raramente fica exposto 

Verdade! Como os felinos são muito reservados, pode ser difícil conhecer algumas partes da sua anatomia. É o caso do pênis de um gato. Na maior parte do tempo, o órgão está escondido dentro do prepúcio. Esse é o nome dado àquela parte visível, mais saliente na base da barriguinha do peludo. 

O pênis de fato fica retraído e só deve ser avistado caso você flagre seu bichano tomando um banho mais relaxado. Algumas doenças, entretanto, causam inflamações e outros problemas que podem deixar o peludo com dificuldade de recolher o órgão. Por isso, se seu gato está com o pênis exposto, é necessário buscar ajuda de um veterinário.

2. Pênis de gato é repleto de pequenos espinhos

Verdade! O pênis do gato adulto possui pequenos espinhos chamados espículas. Essa é uma característica muito comum em diferentes mamíferos, inclusive alguns primatas. 

A função dos espinhos ainda é motivo de debate, mas a maioria dos cientistas acredita que essa é uma forma de estimular a ovulação da fêmea. Entretanto, essa particularidade só aparece após a maturidade sexual. Dessa forma, o pênis de gato filhote não possui espinhos.

3. O sexo dos gatos é doloroso para a fêmea

Verdade! Ao observar dois gatos copulando, fica difícil imaginar que gatos sentem prazer no sexo, não é meso? Pois saiba que, infelizmente, a cópula realmente não é muito prazerosa para as bichanas. 

Isso se deve principalmente às espículas presentes no pênis de gato. Porém, o comportamento dos felinos durante a reprodução dos gatos também costuma ser um tanto violenta. 

Como são pets independentes e que não gostam de contato físico com estranhos, a fêmea pode tentar fugir ainda durante a cópula. Para evitar que isso ocorra, garantindo a fertilização, os machos mordem as costas das fêmeas, causando dor e desconforto. Por isso os bichanos fazem tanto barulho quando estão namorando! 

4. A castração é prejudicial para os gatos

Mito! A castração é uma operação simples, que pode, em muitos casos, trazer benefícios para os pets. Em primeiro lugar, é importante lembrar que a castração pouco vai interferir no pênis de gato. 

Também chamada de orquiectomia, essa operação envolve a remoção dos testículos e é realizada de forma rápida e descomplicada. Após a cirurgia, o bichano se recupera em alguns dias e não terá problemas em suas atividades diárias. 

Na verdade, estudos indicam que gatos castrados possuem menor probabilidade de ter doenças, como o câncer no aparelho reprodutor! Lembre-se apenas de buscar um veterinário de confiança para realizar todos os procedimentos médicos em seu filho de quatro patas. 

Principais doenças no aparelho reprodutor dos bichanos

Se você tem um bichano em casa, sabe que os bigodudos, muitas vezes, não gostam de demonstrar que estão doentes. Por isso, cabe ao tutor ficar atento ao comportamento do seu amigo. Conhecendo as principais doenças do aparelho reprodutor dos gatos será mais fácil proteger o seu filho de quatro patas! 

1. Parafimose

A parafimose em gato ocorre quando o gato não consegue retornar seu pênis para dentro do prepúcio para protegê-lo. Geralmente, isso ocorre após a cópula, e pode trazer complicações para a saúde do peludo. A causa mais comum para esse quadro é a presença de pelos na região genital que impedem o movimento natural. 

Quando o pênis de gato fica exposto muito tempo, ele pode apresentar inflamação e sequidão, causando muita dor ao peludo. Em alguns casos, o quadro pode gerar até mesmo necrose. Assim, ao notar um pênis de gato exposto sem motivo, busque auxílio veterinário imediatamente. 

O médico poderá realizar o diagnóstico e tratamento, que geralmente envolve remover os pelos da região e lubrificar a área para que o movimento ocorra sem problemas. 

2. Fimose

A fimose, por outro lado, ocorre quando o bichano não consegue colocar seu pênis para fora do prepúcio. Geralmente, isso ocorre quando o orifício é muito pequeno e, nesses casos, não costuma ser um problema muito grave. 

Porém, outras condições podem gerar fimose em gatos, como inflamações, infecções bacterianas ou até mesmo quadros neurológicos. Se notar que o bichano está lambendo a região peniana de forma compulsiva, leve seu pet a um veterinário. O especialista poderá realizar o diagnóstico e, caso necessário, submetê-lo ao melhor tratamento. 

gato medroso

3. Priapismo

O priapismo em gatos é um quadro no qual o pet apresenta uma ereção persistente, mesmo sem qualquer estímulo sexual. Nesse caso, o pênis de gato também fica exposto, causando riscos e possíveis complicações para o bichano. A causa pode ser neurológica, por intoxicação ou inflamação. 

O veterinário irá analisar o quadro e identificar qual o tratamento indicado. Assim como a parafimose, o priapismo causa dor, inflamação e sequidão e, por isso, buscar ajuda profissional é fundamental. 

4. Inflamações dos testículos 

Outro quadro comum nos bichanos são as inflamações dos testículos ou dos epidídimos – um pequeno duto que percorre a região dos escrotos. A causa mais comum para esse quadro é um trauma, como quedas ou pancadas. 

Infecções também podem causar o problema, porém mais raramente. Quando o gato apresenta inflamação dos testículos, costuma apresentar os seguintes sintomas:

  • Apatia;
  • Lamber compulsivamente a região peniana;
  • Dor,
  • Falta de apetite.

Fora isso, os testículos também podem ficar visivelmente maiores e avermelhados. Se notar alguns desses sintomas, busque ajuda de um veterinário, que irá realizar o diagnóstico preciso. O tratamento pode envolver administração de medicamentos ou até mesmo cirurgia. 

5. Criptorquidismo

O criptorquidismo em gatos ocorre quando um ou os dois testículos não desce para a bolsa escrotal. É uma doença relativamente comum, sendo considerada a mais frequente entre os problemas de reprodução dos felinos. 

É uma condição genética e, geralmente, não costuma ser grave. Porém, é recomendado realizar uma cirurgia para remover os testículos, já que a má posição pode gerar complicações como câncer ou outros problemas de saúde. 

6. Doenças de próstata 

A próstata é um importante órgão na reprodução dos gatos, e está localizada na região abdominal. Há diversas doenças de próstata que podem afetar os bichanos, como tumores, infecções ou cistos. Os principais sintomas para doenças na próstata são:

  • Dor;
  • Sangue na urina;
  • Febre;
  • Apatia,
  • Dificuldade de urinar. 

Apesar de esse não ser um quadro comum nos bichanos, é importante buscar um veterinário ao notar qualquer um dos sinais acima. O tratamento pode variar de acordo com a origem do problema. 

7. Cálculos

Os cálculos, ou as famosas pedras no rim ou no trato urinário, também são um problema que costumam afetar os bichanos. Como nossos amigos felinos não costumam se hidratar com muita frequência, esse é um quadro comum que pode causar muita dor, além de o gato urinar sangue. Seus principais sintomas são:

  • Dor;
  • Dificuldade de urinar;
  • Xixi em pequenas quantidades; 
  • Urina com sangue;
  • Apatia,
  • Falta de apetite. 

Apesar de este ser um quadro comum nos gatos, demanda toda a atenção e cuidado dos tutores. Além de serem extremamente dolorosos, os cálculos podem trazer outras complicações e, em alguns casos, o bichano pode até mesmo passar por uma cirurgia.

A melhor forma de evitar é oferecer água fresca e limpa para seu pet e ficar sempre de olho em seus hábitos. Agora que você já conhece os mitos e verdades sobre pênis do gato e quais as principais doenças que podem afetar seu bichano, pode cuidar do seu peludo com ainda mais carinho.

Lembre-se que a tutoria responsável envolve ração de qualidade, brincadeiras, muito carinho e visitas regulares ao veterinário. A melhor forma de evitar problemas de saúde é ter sempre um especialista perto do seu filho de quatro patas! 

gato em cima da cerca

Na Petz você encontra clínicas bem equipadas, com profissionais renomados que ficarão felizes em ajudar seu amigo. Procure a unidade mais próxima e venha nos fazer uma visita! 

Compartilhe:

#

Petz

Aqui você encontra tudo e um pouco mais sobre o incrível mundo animal e fica por dentro dos cuidados essenciais com seu bichinho de estimação, seja para um cachorro, gato, passarinho, hamster, peixes e muitos outros — ou todos eles!

Petz

#

Aqui você encontra tudo e um pouco mais sobre o incrível mundo animal e fica por dentro dos cuidados essenciais com seu bichinho de estimação, seja para um cachorro, gato, passarinho, hamster, peixes e muitos outros — ou todos eles!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *