Berne em cachorro: o que é e como tratar?

Postado por PETZ, em Atualizado em Sep 14, 2021

Cachorros
Berne em cachorro: o que é e como tratar?
Tempo de leitura: 4 minutos

Muitos tutores já ouviram falar de berne em cachorro. Mesmo assim, é comum encarar o problema como algo de outro mundo, ou melhor, como algo frequente apenas entre pets abandonados, mas que dificilmente pode acometer o cãozinho que mora com a gente. 

cachorro olhando para a câmera

De fato, se você mora em apartamento e/ou não tem o costume de deixar o pet ao ar livre, é improvável que ele sofra com a temida berne. Já no caso de cães que vivem em casas e passam boa parte do tempo no jardim, é bom ficar atento! Algumas situações físicas e ambientais podem favorecer o surgimento da doença. 

Portanto, é importante conhecer melhor o problema para saber como se preparar. A seguir, confira as respostas para algumas das principais dúvidas sobre cachorro com berne!

Afinal, o que é a berne em cachorro?

O termo “berne” refere-se a uma das manifestações da doença, conhecida como miíase, especificamente miíase primária ou furunculoide. “É uma afecção causada pela presença de larvas de moscas em tecidos. Essas larvas se nutrem de tecidos vivos do hospedeiro”, explica a Dra. Vivian Carvalho, médica-veterinária da Petz.

A especialista ainda complementa a informação: “No caso de berne em cachorro,  os ovos da mosca são depositados sobre a pele sadia. Quando eclodem, as larvas invadem o tecido cutâneo do hospedeiro”.

Há diferentes espécies de mosca que podem estar envolvidas no surgimento da miíase. No caso da berne em cães, as principais “culpadas” são as larvas da mosca Dermatobia hominis, a famosa mosca-varejeira. Por esse motivo, a doença também é conhecida como dermatobiose.

Como ocorre a infestação?

Ao contrário do que muitos pensam, não é a própria mosca-varejeira que coloca os ovos sobre a pele do pet. Na verdade, ela deposita os ovos no abdômen de moscas comuns, como a mosca-doméstica, que vão transmiti-los ao hospedeiro.

Já em contato com a pele sadia do cachorro, os ovos eclodem em até sete dias. Em seguida, as larvas invadem o tecido saudável e passam a se alimentar dele até completarem o seu ciclo, o que leva em média 40 dias. Depois disso, a larva sai da pele do cachorro e se torna pupa, deixando uma ferida aberta e inflamada.

Como identificar a berne em cachorro?

Os sintomas de berne estão associados à entrada, à movimentação e ao ataque aos tecidos pelas larvas. Tudo isso provoca muita dor e desconforto ao pet. Se não forem tratadas, as feridas tendem a infeccionar, o que pode provocar abscessos, hemorragias, toxemias e até amputações. 

cachorro triste

Por isso, quanto antes o problema for diagnosticado, melhor será o prognóstico do seu amigo e mais rápido será iniciado o tratamento de berne em cachorro. Sendo assim, não perca tempo e leve-o ao veterinário imediatamente se perceber algum dos seguintes sintomas: 

  • lesões na pele de odor fétido;
  • inchaço da região afetada;
  • coceira ou lambedura da área atingida;
  • claudicação (quando atinge as patas); 
  • dor local;
  • falta de apetite;
  • perda de peso.

Como é o diagnóstico e o tratamento da berne?

De acordo com a Dra. Vivian Carvalho, antes de administrar o remédio para matar berne em cachorro é feito um exame clínico. “Observa-se, normalmente, uma ferida aberta com odor fétido e característico. Também é frequente haver larvas na fístula, circundadas por tecido necrosado”, explica a veterinária. 

“Para tirar berne de cachorro, o médico-veterinário fará a remoção das larvas intactas com a ajuda de pinças.  Normalmente é necessário sedar o pet para realizar o procedimento”, completa a especialista. 

Feito isso, o próximo passo é a limpeza das feridas e a remoção dos tecidos necrosados. “Também pode ser necessária a administração de remédio para berne em cachorro, que são antibióticos sistêmicos e tópicos ou larvicidas”, completa Vivian.

O que fazer para prevenir a berne em cães?

Ao contrário do que muitos pensam, a berne em cachorros domésticos não é um problema incomum. “Animais de estimação com problemas crônicos de pele ou alterações de mobilidade também são suscetíveis a desenvolverem a doença”, diz Vivian.

Manter a higiene do seu cãozinho é uma medida importante para evitar esse e outros problemas. Considerando que as moscas são as grandes responsáveis por depositar os ovos na pele do cão, as medidas preventivas são no sentido de manter esses insetos afastados. Portanto: 

  • mantenha o ambiente do cachorro limpo. O excesso de fezes e de lixo serve de atrativo para as moscas;
  • utilize coleiras e sprays antimoscas. Eles diminuem o risco do inseto pousar na pele do seu amigo;
  • fique atento a possíveis feridas na pele do cachorro, especialmente se ele for mantido na área externa. Lesões na pele facilitam a entrada dos ovos.

cachorro de olho fechado na grama

Pronto, agora você já está por dentro de todas as informações importantes sobre berne em cachorro. Se tiver outras dúvidas relacionadas aos cuidados com seu mascote, não deixe de explorar mais conteúdos do blog da Petz. Temos muitas dicas e curiosidades sobre o seu bichinho de estimação por aqui!

Compartilhe:

#

Petz

Aqui você encontra tudo e um pouco mais sobre o incrível mundo animal e fica por dentro dos cuidados essenciais com seu bichinho de estimação, seja para um cachorro, gato, passarinho, hamster, peixes e muitos outros — ou todos eles!

Petz

#

Aqui você encontra tudo e um pouco mais sobre o incrível mundo animal e fica por dentro dos cuidados essenciais com seu bichinho de estimação, seja para um cachorro, gato, passarinho, hamster, peixes e muitos outros — ou todos eles!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *