Como perder o medo de cachorro: causas e saídas para o problema

Postado por PETZ, em Atualizado em Mar 23, 2020

Bem-Estar
Como perder o medo de cachorro: causas e saídas para o problema
Tempo de leitura: 4 minutos

Todo medo gera transtornos para quem sofre com ele. No entanto, alguns tipos de medo têm maior potencial para atrapalhar o dia a dia. Afinal, alguém que mora numa grande cidade e tem medo de cobra dificilmente topará com o réptil em seu cotidiano. Mas como perder o medo de cachorro

cachorro bebendo água

Agora, quem tem medo de cachorro precisa lidar com a questão quase diariamente. E não ajuda o fato de muitos apaixonados por pets, mesmo com boas intenções, tentarem resolver o problema “na marra”, ou seja, colocando a pessoa para interagir com um cão. Existem boas maneiras de perder o medo de cachorro, venha descobrir!

Conhecer as causas do problema é o primeiro passo

Algumas origens do trauma relacionado a cachorros são mais evidentes. Como exemplo, é esperado que alguém que já foi ou já viu alguém ser atacado por cachorro tenha medo. Já outros casos estão relacionados à maneira como os pais trataram a aproximação das crianças com os pets. 

Por medo de que a criança se machuque, muitos pais pedem que a criança não chegue perto de cães, alertando sobre o risco de mordidas. Com o passar dos anos, isso pode incutir na criança a ideia de que todos os cães são perigosos.

Descobrir o motivo que o leva a ter medo de cachorros pode ser útil para tentar não se deixar levar pela emoção. Faz sentido temer um pitbull rosnando em sua direção, mas não se ele estiver preso ou com focinheira passeando tranquilamente com seu tutor.

Nesse sentido, vale destacar que estamos falando aqui de um medo “controlável” de cachorros. Para casos de cinofobia, isto é, o medo irracional de cachorros com consequências físicas e psicológicas, o ideal é procurar a ajuda de um especialista, como psicólogo ou psicanalista.

Criança com medo de cachorro: o que fazer?

Por excesso de cautela, em geral, os pais são os grandes responsáveis por, involuntariamente, estimular o medo de cães. Mas isso não significa que, para resolver o problema, a saída seja colocar a criança para interagir com o pet de uma hora para outra. 

cachorro filhote

Uma criança chorando ou correndo durante essa interação pode estimular comportamentos inesperados por parte do cão, agravando o problema. Por isso, é importante seguir alguns cuidados:

  • Evite falar repetidamente para a criança que ela deve ficar longe dos cachorros e que pode ser mordida. Isso contribui para que ela cresça com medo de cães;
  • Estimule a interação da criança com os pets, ensinando-a o jeito certo de se aproximar, fazer carinho, segurar e respeitar o cachorro. Aproveite também para saber o que fazer se o cachorro não para de latir;
  • Caso a criança já tenha fobia de cães, procure levá-la a locais em que os cães estejam presentes, mas a uma distância segura. Você pode levá-la a uma feirinha de adoção ou para ver cães brincando na área fechada de um parque;
  • Em vez de apenas falar que determinado cachorro é bonzinho, que tal demonstrar isso brincando você mesmo com ele de maneira natural? Ao observar a cena, a criança pode se sentir estimulada a se aproximar aos poucos também; 

Nesse sentido, ensine a criança o jeito certo de se aproximar dos pets: tranquilamente, sem afobação. Você também pode ensiná-la a perguntar para o tutor se o cachorro é tranquilo, se ela pode brincar,

  • Nunca exponha a criança a um cachorro contra a vontade dela. Além de traumática para a criança, a experiência também é perigosa. Certas atitudes podem assustar o cão, levando-o a ter reações inesperadas, como um ataque.

Adulto com medo de cachorro: o que fazer?

Seja por ter presenciado um ataque de cachorro ou por conta da criação, muita gente chega à fase adulta com esse medo. Sobre isso, vale lembrar que existem diferentes graus de medo. Em casos mais graves, como de cinofobia, o tratamento depende de ajuda profissional. Já nos quadros mais amenos, as dicas abaixo podem ajudar:

  • Não se sinta constrangido por ter fobia de cachorro! Cada um é cada um, e só você sabe o que passa em sua cabeça ao ver um cão. O medo pode ter diferentes causas, sendo que todas elas são legítimas e devem ser respeitadas;
  • É importante tentar se aproximar aos poucos dos cachorros para perder o medo. Mas essa aproximação deve ser feita no seu tempo. Vale a pena ser firme e explicar isso a conhecidos que queiram forçar esse contato;
  • Ao ver um cachorro, respire fundo e tente refletir se ele realmente oferece perigo naquele momento. Alguns exercícios de respiração podem ajudar a reduzir a ansiedade; confira tratamento para perder medo de cachorro
  • Quer tentar se aproximar de um cachorro? Lembre-se de que o temperamento é mais importante que o porte. É mais fácil fazer carinho em um labrador tranquilo do que em um lhasa apso arisco. Na dúvida, pergunte para o tutor se o pet gosta do contato.

cachorro e tutora

Se você tem fobia, não tenha vergonha, por exemplo, de pedir que alguém segure o cachorro para você passar. O espaço é de todos e você também merece esse respeito! Fique de olho nos itens da Petz para você se acostumar com cãezinhos e aprender a perder o medo de cachorro. 

Compartilhe:

#

Petz

Aqui você encontra tudo e um pouco mais sobre o incrível mundo animal e fica por dentro dos cuidados essenciais com seu bichinho de estimação, seja para um cachorro, gato, passarinho, hamster, peixes e muitos outros — ou todos eles!

Petz

#

Aqui você encontra tudo e um pouco mais sobre o incrível mundo animal e fica por dentro dos cuidados essenciais com seu bichinho de estimação, seja para um cachorro, gato, passarinho, hamster, peixes e muitos outros — ou todos eles!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *