Zooterapia: como os animais podem ajudar no tratamento de doenças

Postado por PETZ, em Atualizado em Apr 30, 2019

Comportamento
Zooterapia: como os animais podem ajudar no tratamento de doenças
Tempo de leitura: 4 minutos

Ninguém duvida que conviver com pets torna a vida mais alegre e divertida. Quem tem um pet em casa sabe como, ao encontrá-lo após um dia difícil e cansativo, eles nos enchem de energia e felicidade. Mas você sabia que existe um ramo da medicina que estuda o benefício dos animais na recuperação de doenças? A Zooterapia!

Também conhecida como terapia assistida com animais, auxilia milhares de pessoas a se recuperar de problemas físicos ou emocionais. Ficou curioso para saber como? Conheça mais sobre a zooterapia em hospitais e seus benefícios!

História da Zooterapia

A técnica existe desde o século XIX, quando médicos na Europa observaram que pessoas com dificuldade de socialização se tornavam mais comunicativas após conviver com animais.

Nos Estados Unidos, a zooterapia foi muito utilizada na reabilitação de soldados combatentes da II Guerra Mundial. Um pouco mais tarde, na década de 1950, a professora Nise da Silveira introduziu a terapia assistida por animais no tratamento de pessoas com esquizofrenia.

Hoje, a zooterapia é bem conhecida, e é possível encontrar a técnica em clínicas especializadas em grandes centros urbanos, no Brasil e no exterior.

Diferenças entre a TAA e AAA

Dentro da Zooterapia, há duas técnicas muito utilizadas e que possuem suas diferenças: a Terapia Assistida com Animais (TAA) e a Atividade Assistida com Animais (AAA).

A primeira é uma terapia mais complexa, que deve ter sempre o acompanhamento de um médico, fisioterapeuta, psicólogo ou outro profissional da saúde. Faz parte de um tratamento que, geralmente, envolve outras medidas e precisa de monitoramento.

Já a Atividade Assistida com animais é mais livre e abrangente. Consiste na visitação e recreação com animais, e não precisa, necessariamente, ser acompanhada de um profissional da saúde. É indicada no tratamento de ansiedades, dificuldade de socialização, e pessoas com necessidades especiais.

Benefícios da Zooterapia

Praticada há séculos, são inúmeros os benefícios da zooterapia comprovados. Segundo a médica veterinária da Petz, Dra. Alessandra Pedroso, estudos mostram que, após 15 minutos de contato com um animal, o corpo apresenta redução de problemas como:

  • Ansiedade;
  • Pressão arterial;
  • Alta frequência cardíaca;
  • Triglicérides
  • Colesterol;
  • Estresse,
  • Depressão.

Já a médio prazo, com a utilização da zooterapia frequente, os pacientes costumam apresentar melhoras em:

  • Socialização;
  • Comunicação;
  • Memória;
  • Concentração;
  • Afetividade;
  • Autoestima;
  • Estabelecimento de vínculos,
  • Prática de atividades físicas.

Zooterapia: quando é indicada?

A zooterapia praticamente não possui contraindicações. Conforme a Dra. Alessandra reforça, “Ela pode ser aplicada em várias faixas etárias e em diferentes locais, tais como: ambulatórios, hospitais, casas de repouso, escolas, clínicas de fisioterapia e de reabilitação”.

Ou seja: muitos podem se beneficiar com esse tratamento! No entanto, a zooterapia é indicada para algumas condições específicas, com resultados mais eficientes. São elas:

  • Ansiedade;
  • Autismo;
  • Transtornos sociais;
  • Deficiências de aprendizagem;
  • Esquizofrenia;
  • Pacientes hospitalizados,
  • Pacientes com câncer.

Lembrando que essas são só algumas das condições médicas que podem ser tratadas com zooterapia. Existem, ainda, diversas outras, como é o caso de problemas de locomoção. Viu só como esse tratamento pode trazer muitos benefícios?

Técnicas mais utilizadas

A zooterapia é bastante inclusiva, e não limita muito as espécies de animais a serem utilizadas. Cabe ao médico e o paciente encontrarem o método que será mais agradável e eficiente.

No entanto, alguns estudos comprovam a eficácia na utilização de alguns animais para tratamentos específicos.

  • Ao cavalgar em um cavalo, estimula-se os músculos utilizados para caminhar. Isso pode fortalecer e auxiliar pessoas com dificuldade de locomoção.
  • Os cachorros são os pets mais utilizados. Eles possuem boa aceitação pela maioria das pessoas e são facilmente adestrados, tornando-os ótimos terapeutas!
  • A zooterapia com gatos também demonstra grande eficiência, especialmente no tratamento do estresse e socialização de pessoas da terceira idade.

Porém, de acordo com a particularidade de cada paciente, ele e seu terapeuta poderão escolher a terapia e o animal mais conveniente.

Cuidados

Apesar de ser uma terapia muito aceita, alguns cuidados são necessários ao se aplicar a zooterapia. Para começo de conversa, não é qualquer pet que pode entrar em contato com pessoas doentes. Eles precisam estar preparados, cuidados e saudáveis, evitando a transmissão de doenças.

“Existe um protocolo a ser seguido. Os pets devem estar com a vacinação e vermifugação em dia, não podem possuir pulgas, nem ingerir carne ou leite. Devem estar sadios, limpos e escovados para garantir uma visita saudável”, reforça a Dra. Alessandra.

Por isso, busque sempre centros especializados e comunique seu médico o desejo de conhecer mais sobre os tipos de zooterapia. Ele saberá indicar o melhor caminho de acordo com o seu perfil.

Tem uma história bacana sobre zooterapia e gostaria de compartilhar com a Petz? Conte nos comentários!

Compartilhe:

#

Petz

Aqui você encontra tudo e um pouco mais sobre o incrível mundo animal e fica por dentro dos cuidados essenciais com seu bichinho de estimação, seja para um cachorro, gato, passarinho, hamster, peixes e muitos outros — ou todos eles!

Petz

#

Aqui você encontra tudo e um pouco mais sobre o incrível mundo animal e fica por dentro dos cuidados essenciais com seu bichinho de estimação, seja para um cachorro, gato, passarinho, hamster, peixes e muitos outros — ou todos eles!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *